É com o lema “o PCP está na Trofa”, que a Comissão Concelhia da Trofa do Partido Comunista apresentou um conjunto de “tarefas” para desenvolver durante o mês de março.

A empresa Savinor também está sob a atenção dos comunistas, que a acusam de “consequências negativas com a emissão de odores dos subprodutos que recebe para transformação”. “No âmbito de uma visita à empresa, a convite da mesma, ficamos a saber que a construção de um intercetor (saneamento em baixa) permitiria minorar ainda mais a emissão de odores e que este projeto público se encontra na Trofáguas, completamente bloqueado”. Paulo Queirós, membro do PCP da Trofa questionou a presidente da Câmara, Joana Lima, acerca deste problema, na última Assembleia Municipal.

A edil trofense confirmou a receção do requerimento do grupo parlamentar do PCP-PEV com questões acerca da Savinor, garantindo que “oportunamente e no tempo devido por lei as respostas serão dadas a dizer qual é o ponto da situação”.

O PCP também enviou um requerimento ao Governo, no qual questiona a ministra da Ambiente, Assunção Cristas, sobre a “avaliação que faz esse Ministério sobre a evolução ao longo dos últimos anos dos impactos ambientais da atividade da Savinor e das suas consequências na qualidade de vida das populações”, “se têm sido recebidas nesse Ministério ou na CCDRN (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte) queixas, protestos ou denúncias por parte da população, autarquias ou outras entidades, relativas às consequências da atividade da Savinor”, “que tipo de acompanhamento em concreto, designadamente através da CCDRN, é que esse Ministério tem desenvolvido sobre o conjunto de intervenções em curso na Savinor”, entre outras questões.

Os comunistas mostram-se preocupados com o aumento do desemprego no concelho, indicando dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional: “Temos 3721 desempregados, que correspondem a uma taxa de desemprego de 17,5 por cento, considerando uma estimativa entre a população ativa e a população residente de 2008 para 2011”. Acreditam que “os números reais são bem superiores”, sustentando que “o desequilíbrio da balança de transações correntes sempre foi denunciado pelo PCP ao longo de décadas, caracterizando-se pelo sucessivo aumento das importações a níveis superiores às exportações”. 

Os comunistas acusam os “governos PSD, com ou sem CDS-PP, e PS”, que “têm conduzido à destruição do aparelho produtivo”. O PCP da Trofa também se manifestou a favor da greve geral marcada pela CGTP para 22 de  março e “tudo fará para mobilizar os trabalhadores”, esclarecendo “sobre este plano de crime que pode e deve ser derrotado”, referindo-se ao memorando assinado pelo Governo com a troika. A concelhia trofense do Partido Comunista também está a fazer circular um boletim “sobre questões específicas” do concelho, nomeadamente “aspetos ligados à dívida da Câmara, a Reforma Administrativa, o Metro, a Agricultura, o aumento do custo de vida, os bombeiros e o transporte de doentes”.

PCP Trofa assinala 91 anos do partido

No âmbito do 91º aniversário do partido (6 de março), a concelhia do PCP vai realizar um almoço no Cantinho da Feira, junto à Feira e Mercado da Trofa, que contará com a presença de Gonçalo Oliveira, membro da Direção Regional do Porto, no domingo, pelas 12 horas.

{fcomment}