A autarquia trofense comemorou o Dia Mundial da Proteção Civil, na manhã do dia 1 de março, com peça de teatro, interpretações musicais e apresentação do vencedor do concurso “Jornal SOS”, promovido nas escolas do concelho.

Cerca de 320 crianças, do pré-escolar e do 1º ciclo das escolas da Trofa, tiveram uma manhã de quinta-feira diferente. No salão polivalente dos Bombeiros Voluntários da Trofa, as crianças dos Clubes de Proteção Civil, implementados nos estabelecimentos de ensino EB 2/3 de S. Romão do Coronado, Colégio da Trofa, APPACDM da Trofa, JI de Feira Nova, JI de Paranho, EB1/JI de Vila e EB1/JI de Estação, participaram em peças de teatro e, ainda, mostraram os seus dotes musicais.

A iniciativa, que surge no âmbito dos Clubes de Proteção Civil, foi promovida pela Câmara Municipal da Trofa, através da Divisão de Ambiente e Espaços Urbanos. Com o objetivo de sensibilizar os jovens relativamente à preservação ambiental, Assis Serra Neves, vereador do Ambiente da Câmara Municipal da Trofa, garante que é essencial que comece nas escolas “o ensinamento e o hábito de um bom ambiente e da conservação da natureza”, o que trará “melhores condições ambientais”. “Só futuramente é que se começa a ter resultados muito positivos. Mas é nas crianças que devemos apostar com este tipo de novos hábitos ambientais”, asseverou.

Alberto da Costa, 2º Comandante Distrital da Autoridade Nacional de Proteção Civil, garante que estas iniciativas juntamente com os clubes da Proteção Civil, presentes nas escolas do concelho, que foram lançados pela Autoridade Nacional da Proteção Civil, devem fazer parte da vida de um jovem desde cedo. “É muito difícil mudar mentalidades de adultos, pois as pessoas já têm a sua estrutura psicológica perfeitamente formada. Por essa razão, é preferível investir, a longo prazo, nos miúdos e nas escolas, para daqui a alguns anos termos uma sociedade bem melhor”, realçou, frisando que o serviço municipal da Proteção Civil da Trofa “tem trabalhado muito bem, ao desenvolver todas estas ações”.

Para o 2º Comandante é importante que se continue a investir nestas sensibilizações, sendo que com o esforço de toda a comunidade, é “possivel fazer-se muito pela proteção civil, gastando-se pouco”.

Aproveitando estas comemorações, a autarquia trofense expôs os dois trabalhos apresentados no concurso “Jornal SOS”. Recorde-se que este foi promovido junto dos alunos do 2º e 3º ciclo, estando inserido na candidatura ao Eixo prioritário III – Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial – Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos, do Programa Operacional Regional do Norte.

O vencedor foi o jornal “Operação Xaminhas” da APPACDM, que recebeu das mãos da presidente da Câmara, Joana Lima, uma máquina fotográfica digital. Conceição Leitão, responsável pela APPACDM da Trofa, garante que foi “com muito orgulho” que recebeu este prémio, mostrando disponibilidade para “continuar a trabalhar para o primeiro lugar” em outros concursos que haja. “Devia de existir mais dinamismo e colaboração das escolas, porque acreditamos que a sensibilização pode mudar as mentalidades em relação à proteção da natureza e, esta, tem que começar nas camadas jovens”, afirmou a responsável, frisando que é necessário que “as pessoas se mentalizem que o futuro do planeta” está nas nossas mãos. As alunas do Curso de Educação e Formação dos Jovens da EB 2/3 S. Romão do Coronado, que receberam uma enciclopédia, como prémio de participação, participaram com um jornal que tem vindo a ser desenvolvido num projeto escolar.

Segundo Inês Ramos, uma das alunas, decidiram participar, porque acharam “que seria uma boa oportunidade para revelarem” o bom desempenho que têm tido. Quanto ao conteúdo, a aluna Andreia Lamelas salientou que contém temas acerca da escola, desde “textos dos alunos, fotografias,visitas de estudo”. Esta iniciativa surgiu no âmbito dos Clubes de Proteção Civil, que estão implementados nos estabelecimentos de ensino EB 2/3 de S. Romão do Coronado, Colégio da Trofa, APPACDM da Trofa, JI de Feira Nova, JI de Paranho, EB1/JI de Vila e EB1/JI de Estação. Estes clubes têm como principal objetivo a sensibilização para a preservação do ambiente e floresta.

{fcomment}