Depois de já ter estado à frente do Agrupamento Vertical das Escolas da Trofa (AVET), que engloba a maioria das instituições de ensino do concelho, Paulino Macedo voltou a tomar posse como presidente, movido pela intenção de contribuir para que a escola "se transforme num local de aprendizagem e que a igualdade de oportunidades assegure a todos a magnificação da sua valorização pessoal".

A cerimónia da tomada de posse, realizada na Escola EB 2/3 Napoleão Sousa Marques no dia 28 de Junho, contou Paulino Macedo é o presidente do AVETcom a presença do vice-presidente e vereador da educação da Câmara Municipal da Trofa, António Pontes, da directora Regional de Educação do Norte (DREN), Margarida Moreira e do pessoal docente e não docente da escola.

A candidatura apresentada sob o lema "mais e melhores escolas", segundo o presidente Paulino Macedo foi motivada pela experiência dos órgãos sociais do AVET e apresentada com " plena consciência das dificuldades que a gestão do dia-a-dia do agrupamento coloca. Gestão que tem que conciliar as preocupações administrativas com as pedagógicas".

O responsável anunciou o compromisso de que tudo será feito para que "este agrupamento se institua como uma estrutura articulada entre todas as escolas, de modo a que a sua acção possa contribuir para a elevação do nível educativo da comunidade da Trofa".

Já António Pontes assegurou a disponibilidade da Câmara Municipal da Trofa, segundo o caminho a seguir na área da educação anunciado pelo Governo, "que visa atingir cada vez mais a autonomia das escolas, apoiada pela participação cada vez mais forte das autarquias", e que segundo o vereador irá contribuir para o sucesso da gestão e estruturação de todo o edifício educativo.

Pontes aproveitou ainda para anunciar a homologação da carta educativa para o concelho da Trofa, que irá contribuir para o "planeamento de todo o parque escolar da Trofa" e que "qualificará espaços e logística, para melhorar as condições para que os jovens de sintam motivados para aprender".

"Nunca desistir de lutar", foi a mensagem que Margarida Moreira quis deixar aos que farão parte do AVET. Apesar de agradada com os "indicadores positivos" que a educação no norte apresenta, a responsável relembrou que "nunca chegam para atingir a plena satisfação".

Margarida Moreira apelou para a exigência "dos professores, funcionários e pais", e ainda para "elevar expectativas, acreditar que os alunos são capazes". Por outro lado "a falta de respeito por quem for, em que circunstância for, não deve ser tolerada em nenhuma ocasião, assim como a falta de solidariedade e de trabalho", rematou a responsável da DREN.