O Paradela despediu-se da temporada 2007/2008 na 2ª divisão da Associação de Futebol do Porto, série 2, em décimo lugar, com 23 pontos. O NT esteve à conversa com o presidente da associação, José Ferreira que fez um balanço muito positivo do primeiro ano de futebol federado.

Presidente da AR Paradela satisfeito com a Equipa de Futebol  "É o primeiro ano que estamos federados, deu muito trabalho, porque é totalmente diferente em relação aos campeonatos concelhios, mas o balanço é muito positivo", afirmou José Ferreira, presidente da Associação Recreativa de Paradela.

Com apenas uma derrota pela diferença de dois pontos, o Paradela "foi sempre derrotado com diferenças só de um golo, nunca tendo sido goleado", lembrou o presidente, que fez questão de recordar a vitoria expressiva, em casa, frente ao Aliança de Gandra: "O Paradela também pode entrar na história da distrital porque ganhou 7-0 a um clube", frisou.

José Ferreira diz que a equipa se sentiu muitas vezes "discriminada" com as arbitragens. "Eu gosto muito pouco de falar de arbitragens e somos suspeitos porque se calhar não temos outra visão do jogo, mas há certos lances onde havia critérios totalmente diferentes", afirmou.

"90 por cento, a culpa foi das arbitragens", frisou, recordando que algumas das expulsões se deveram à falta de maturidade da equipa.

O Paradela despediu-se assim da temporada 2007/2008 da 2ª divisão da Associação de Futebol do Porto, série 2, em décimo lugar, com 23 pontos.

A contar com a classificação em oitavo lugar, com mais alguns pontos, jogavam "bom futebol", mas não conseguiam concretizar, e numa distracção sofriam os golos. "O futebol é assim, nós falhamos muitas bolas e os adversarios iam uma vez à baliza e marcavam, como aconteceu em muitos dos nossos jogos, se calhar também por falta de experiência da equipa. Mas o décimo lugar também se aceita, não foi mau", afirmou.

As obras que o CD Trofense fez no Campo situado no Monte de Paradela, também foram uma motivação extra para os jogadores, que antes treinavam e jogavam num campo de terra batida. "É evidente que as obras deram outra visão das coisas e que os jogadores ficaram mais motivados, porque não é qualquer clube que tem um sintético para jogar. Os campos todos onde fomos jogar eram todos pelados, só o de Marco de Canaveses é que era relvado", atestou.

O possível abandono de Abílio Dias como técnico da equipa, é agora o problema da equipa trofense, que poderá ficar sem treinador. Sem grandes recursos para poder pagar um técnico com carteira profissional, Abílio Dias "é como uma pessoa da casa, estava ali porque gosta do Paradela", afirmou o presidente.

"A Associação de Futebol do Porto exige que todos os treinadores tenham o nivel um do curso e eu acho bem o Abílio Dias tirar o curso, é bom para ele e é bom para a associação. Posso dizer que ando já a pensar na próxima época, e a direcção vai ter uma conversa com ele para definir as coisas, se não houver possibilidades de ele tirar o curso e continuar a treinar o Paradela é evidente que vamos ter que arranjar outro treinador", comentou.

Para além do futebol de 11, a Associação Recreativa de Paradela apoia ainda outras modalidades com o BTT e o Futebol de salão. "Temos o de futebol de salão, onde este ano formamos mais uma equipa de juvenis, os campeonatos estão ainda a decorrer e a equipa que está mais bem classificada são os juniores, podem ainda ser campeões, enquanto que os outros estão a meio da tabela. Quanto ao BTT, têm tido uma prestação razoável é evidente que na primeira volta encontraram um pouco de dificuldades por estarem parados, mas está a correr tudo bem", adiantou José Ferreira, já a pensar trazer uma prova de BTT novamente para a Trofa, nas competições para a taça.

Para além do desporto, a associação organiza também as festas de S. Pedro que se realizam a 27,28 e 29 de Junho. "Posso também adiantar que já temos o programa definido a nível de grupos, não vou adiantar nomes porque ainda é um bocadinho cedo", antecipou.

"O nosso grande objectivo e que não me sai da cabeça é a construção da sede", disse o presidente, que espera o apoio de todos os sócios para a construção "de umas instalações só nossas, com um bar onde podem estar os sócios e para poder expor os nossos prémios e ter as nossas coisas".

Para contribuir para a concretização deste objectivo, estão agora a renovar os cartões de sócios e José Ferreira apelou: "À segunda-feira a sede está aberta das 21 às 23 horas, a sede fica junto do largo das escolas de Paradela. Venham ajudar-nos porque um euro por mês, não custa nada".

Em altura de agradecimentos, o presidente lembrou o apoio do jornal O Notícias da Trofa "pelo empenho que tem tido, acompanhando sempre os jogos e ajudando a divulgar a associação. Agradeço também à equipa técnica, patrocinadores e as pessoas de Paradela, que nos têm apoiado muito", rematou.