A comissão política concelhia do PAN – Pessoas-Animais-Natureza, considera que “apesar da boa vontade dos intervenientes”, o Canil da Trofa apresenta “muitas carências e limitações”, quer ao nível de infraestruturas como de recursos humanos.
Numa visita à estrutura situada na Rua do Termo, em Santiago de Bougado, na manhã de sábado, 10 de julho, a estrutura concelhia do partido esteve acompanhada da deputada à Assembleia da República, Bebiana Cunha e constatou que “é necessária uma intervenção de fundo nas instalações”.
“A Câmara Municipal da Trofa anunciou, em 2020, a compra do terreno onde se localiza o canil, para proceder à sua ampliação e requalificação, mas até hoje não se conhece o projeto e a data prevista para que o mesmo avance. Os animais abandonados da Trofa merecem mais vontade política. Até quando vai o executivo camarário fazê-los esperar?”, questiona o partido, que apresentou um conjunto de propostas a executar na estrutura.
Além de reivindicar o aumento do número de tratadores de um para três, garantindo assim “o passeio diário de todos os animais e assim melhorar a sua saúde mental”, o PAN considera imperativa a “instalação de boxes individuais para animais recém recolhidos” e de outras “com acesso ao ar livre, para reduzir o stress dos animais residentes”.
O partido sugere ainda o alargamento do horário de funcionamento diário do canil, que é de 3h30 atualmente, a criação de uma equipa de resgate, disponível 24 horas, “para todos os animais e não só os acidentados” e a criação e divulgação de bolsa de voluntários para ajudar a passear os animais. “Recuperar as parcerias com associações de proteção animal” é também uma das propostas deixadas pelo PAN.