FALTA DE CREDIBILIDADE – Infelizmente, a Presidente de Câmara não tem credibilidade. Começou por não conhecer dossiês e fazer de conta que os conhecia. Não consegue ter capacidade negocial por falta de bom senso e conhecimento tardio dos assuntos. A Trofa perde e, infelizmente, continuará a perder pela falta de credibilidade que inspira na negociação de grandes projectos para a Trofa.

INDECISÃO – Anulou um concurso público internacional da Área de Localização Empresarial. De seguida, fez um ajuste directo de milhões. Perdeu dois anos nesta “troca e baldroca”. A crise instalou-se e dificilmente conseguirá que alguém construa alguma coisa. PERDEU tempo, PERDEU investimento de milhões para a Trofa, PERDEU emprego e PERDEU dinheiro em impostos que iriam beneficiar as receitas do município. 

MÁ GESTÃO – Despediu gente com a desculpa que a Câmara devia muito dinheiro. Acabou por admitir 70 pessoas e aumentou as chefias de duvidoso critério, isto sem contar com os empregos oferecidos nas empresas municipais – Casa farta! Hotéis de cinco estrelas, almoçaradas e jantaradas não se coadunam para quem corta subsídios a associações. Não comenta, Sr. Magalhães Moreira? A Câmara deve mais dinheiro e a obra da Câmara é nenhuma! Onde estão os 40 MILHÕES DE EUROS QUE GASTOU NOS DOIS ÚLTIMOS ANOS?

LEVIANDADE – Mal chegou à cadeira da presidência, propagandeou que a dívida era de sessenta e muitos milhões de euros, o que não corresponde à verdade. Foram páginas de jornais durante dois anos, a última em frente a uma obra de autoria da REFER e do PSD. Esqueceu-se que tanto alarmismo assusta a quem empresta ou adianta dinheiro para fazer obra. De uma assentada, perdeu crédito e obra! 

DIVISIONISTA – Ainda não tinha sido eleita e já dividia para reinar. Após a eleição, em que a Trofa saiu profundamente dividida, não apaziguou. Pelo contrário, acentuou a divisão. Arrasou quanto pôde com aldrabices políticas a quem venceu, imiscuiu-se em eleições da associação de pais da escola secundária, etc. O rancor não leva a lado nenhum. Não há quem lhe explique?

INCOMPETÊNCIA POLÍTICA – Nas comemorações do município, fez política pessoal e prejudicou a Trofa. Trouxe António José Seguro quando este era oposição ao Primeiro – Ministro José Sócrates. Com isso, conseguiu melhorar as relações políticas com o actual Secretário-Geral do PS para assegurar um lugarzito nas listas do PS Nacional, mas ele é oposição ao Governo e não pode ajudar a Trofa. Traz Rui Rio, quando este não tem as melhores relações políticas com o Governo e não pode ajudar a Trofa com o Metro. Qualquer criança de seis anos sabe que não se apanha moscas com vinagre. Quem perde? A Trofa. É claro!

INCUMPRIDORA – Prometeu mundos e fundos aos trofenses. Emprego, protecção da economia e do comércio local, investimento a rodos e tudo quanto havia para prometer. Passados dois anos, anuncia com pompa e circunstância a vinda do MCDonald´s para a Trofa, com a desculpa esfarrapada da criação de emprego e mais receitas. E, o comércio local a quem tanto prometeu? Quanto vai perder?

{fcomment}