No restaurante Os Braguinhas o Arroz Pica no Chão não tem grandes segredos, apenas se mantém a receita tradicional que irá ser apresentada no Fim-de-semana Gastronómico, na Trofa.

É uma receita tradicional das zonas de Entre Douro e Minho, mas o verdadeiro Arroz Pica no Chão está no restaurante Os Braguinhas. Esta é a convicção do gerente Pedro Braga, que decidiu participar no Fim-de-semana Gastronómico que junta na Trofa, nos dias 6 e 7 de Fevereiro, o melhor Arroz de Cabidela e a deliciosa Maçã Assada.

“Penso que a Câmara devia organizar mais vezes este género de eventos, nos quais podemos levar a Trofa a todo o país e ao estrangeiro”, afirmou.

N’Os Braguinhas, o Arroz Pica no Chão não tem grandes segredos, apenas se mantém a receita tradicional. “Fazer bem e servir da melhor forma o Arroz de Cabidela para satisfazer todos os clientes” é o lema deste restaurante que nasceu há 15 anos na cidade da Trofa.

O restaurante é considerado “uma casa familiar” e o nome Os Braguinhas surgiu porque o pai tinha o apelido Braga e na altura os filhos eram pequenos”. O nome manteve-se , assim como a qualidade dos menus apresentados, agora com a gerência do filho.

braguinhas

No cardápio, para além do Arroz de Cabidela, que é servido especialmente às sextas-feiras, constam vários peixes e carnes sempre frescos e combinados com as mais deliciosas receitas. “Temos uma vasta ementa com os vários peixes, como o bacalhau, filetes de pescada, filetes de polvo, robalos e dourada grelhada, isto porque hoje em dia muita gente procura o peixe. Nos pratos de carne temos cabrito, vitela, picanha, medalhões no espeto e nacos com molho glace”, explicou.

“Servir bem” é o lema que está sempre presente, por isso Os Braguinhas têm todos os dias à disposição dos seus clientes dois a três pratos do dia diferentes com um preço mais económico.

A aproximar-se a data especial do Dia dos Namorados, Os Braguinhas apresentam ainda os menus especialmente preparados para a data romântica, com jantar à luz das velas e um ambiente acolhedor para os enamorados.

Com um espaço acolhedor que alberga cerca de 200 pessoas, o restaurante prima pela “simpatia dos funcionários a servir” e pela “comida excepcional”, por isso Pedro Braga deixa a sugestão: “Espero que as pessoas participem (no Fim-de-semana Gastronómico) e que venham comer o Arroz de Cabidela, e que venham também no Dia dos Namorados e sempre”.