O Centro Social e Paroquial de S. Mamede do Coronado promoveu a segunda edição da Feira da Saúde. Ao longo do dia de domingo, o espaço foi um autêntico posto de emergência e segurança, tal a quantidade de meios que estiveram envolvidos na iniciativa: Bombeiros Voluntários da Trofa, INEM, Cruz Vermelha de Vilar e de Ribeirão, Guarda Nacional Republicana e Polícia Municipal. Segundo Andreia Silva, da organização, a ideia foi “conjugar a saúde com a educação para a segurança”. Também marcaram presença algumas empresas que trabalham com o Centro Social, assim como a parceira Junta de Freguesia do Coronado.

Os participantes tinham à disposição um sem número de rastreios – visual, pressão arterial –, demonstração do suporte básico de vida, reiki e exposição de material ortopédico.

A tarde foi ocupada, em grande parte, por um simulacro, que envolveu diversos meios dos Bombeiros Voluntários da Trofa, da GNR – que mobilizou uma equipa cinotécnica -, e da Polícia Municipal.

Andreia Silva lamentou apenas a falta de participação da população: “Este tipo de iniciativas é sempre muito importante. É pena não haver a adesão que gostaríamos que houvesse, penso que as pessoas ainda não estão sensibilizadas para a questão da saúde. Só pensamos nela quando não está de acordo com os parâmetros normais”.