A edição 67 da Feira Anual da Trofa “superou as expectativas”. Organização estima que “mais de 120 mil pessoas” passaram pelo recinto da Feira e Mercado da Trofa.

 De manhã, já faziam prever que o dia ia ser concorrido. A tarde trouxe a confirmação: o último dia da Feira Anual da Trofa foi o expoente do certame, no qual cada metro quadrado do recinto era palmilhado a custo, tal foi a afluência do público.

A organização estima que “mais de 120 mil pessoas” passaram pela Feira e Mercado da Trofa nos dias 1,2 e 3 de março. A 67 ª edição da Feira Anual será lembrada como uma das mais concorridas e para isso muito contribuiu a realização do programa da TVI “Somos Portugal”. E se este é um argumento de peso, também não se podem esquecer os trunfos gastronómicos, as oportunidades de negócio e a exposição de animais, que fizeram com que o certame saísse revitalizado e desse estímulo ao setor primário.

Para Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, que é parceira da promotora Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, a organização deu uma “prova muito importante” de que “está atenta” e pretende “contrariar a crise” para “poder projetar o concelho”. “Penso que as empresas saíram mais fortes e conhecidas, para poderem fazer face a mais um ano de trabalho. Esta feira movimentou muitos milhares de pessoas que vieram dar um grande contributo à economia local”, evidenciou.

Na reta final do certame, a organização fazia um balanço “positivo” desta edição. Para José Sá, presidente da Junta de Freguesia de S. Martinho, as expectativas “foram superadas”. O autarca não conseguiu eleger apenas um ponto alto: “Houve muitos, desde a presença do secretário de Estado e do deputado da Comissão de Agricultura, aos concursos pecuários e equestres e ao programa da TVI”.

 José Sá agradeceu “a todos quantos colaboraram para que este certame fosse uma realidade” e “ao muito público que marcou presença”.

Por seu lado, Joana Lima destacou “os muitos elogios dos expositores”. “De acordo com as pessoas que fui falando ao longo do dia (domingo), esta edição excedeu todas as expectativas, das mais otimistas que pudessem existir”, frisou.

Concluída mais uma edição da Feira Anual da Trofa, impõe-se a questão: Como será para 2014, quando já estiver oficializada a União de Freguesias de S. Martinho e Santiago de Bougado? José Sá considera “inoportuno” antecipar cenários, mas afirmou que “se for o presidente na altura, a Feira realizar-se-á no mesmo âmbito, com a mesma ou mais qualidade”. “A dimensão aumenta e o evento tem possibilidade de alargar até à freguesia vizinha”, afirmou.

Ao longo de três dias, o recinto da Feira e Mercado da Trofa foi palco de várias atividades, como os concursos das raças autóctones e Holstein Frísia e as iniciativas no picadeiro, com a presença de centenas de cavalos. Durante a tarde de sábado, o Grupo Sons e Cantares do Ave e o Grupo Danças e Cantares de Santiago de Bougado animaram o público com músicas e coreografias tradicionais.

No primeiro dia do certame, as crianças das escolas básicas do concelho puderam visitar o evento e contactar com todos os animais em exposição. À tarde, tiveram oportunidade de contactar com os cavalos nas atividades programadas no Parque Nossa Senhora das Dores, no âmbito da iniciativas “Tardes de Animação”, incluída no projeto de dinamização e Requalificação Urbana dos Parques Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, abrangido pela Candidatura ao Programa de Ação (PRU/2/2008) – Grandes Centros”.

 Secretário de Estado e Deputado da Comissão de Agricultura elogiaram evento

Algumas personalidades nacionais estiveram na Trofa e confirmaram a importância do evento para a atividade agropecuária.

Francisco Gomes da Silva, secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, visitou a Feira “pela primeira vez” e ficou “muito bem impressionado” não só pela sua dimensão, como pelo “grande número de expositores e visitantes”, que manifestaram “entusiasmo” em torno do evento. “(Estes eventos) são importantes, em primeiro lugar, porque dão a oportunidade de fazer negócio. Falei com alguns expositores, que referiram que não é só o negócio que fazem aqui, mas os negócios que daqui resultam frutos dos contactos que estabelecem”, afirmou. Depois, porque “as pessoas juntam-se em torno de objetivos comuns e apoiam-se”.

Também Miguel Freitas, deputado e elemento na Comissão de Agricultura e Mar, foi um estreante na Feira, a qual considera “importante para mostrar os bons produtos da região”.

O deputado direcionou o seu discurso, essencialmente, para o setor leiteiro, também representado no evento: “Temos que continuar a ter os apoios necessários para manter a produção de leite. Somos um país autossuficiente e não queremos passar a importar leite sem necessidade. Este é um momento importante, porque as negociações estão a decorrer, em Bruxelas, e é fundamental que o Governo perceba que tem que defender o setor e encontrar os apoios necessários para que os nossos produtores possam continuar a fazer o que gostam”.

O deputado também se referiu “ao setor cooperativo ligado ao leite”, que é “muito forte”, como a Cooperativa de Agricultores de Santo Tirso e Trofa, que “está a trabalhar muito bem, no sentido de conseguir boas parcerias, a nível nacional e em Espanha”.

A aposta dos jovens na agricultura é cada vez mais notória, por isso é imperativo um apoio incisivo que estimule os novos produtores.

Miguel Freitas comunga da ideia de que a comunidade jovem “começa a perceber que, afinal, o setor agrícola é importante para Portugal”, que são necessárias “boas medidas de política” e que, “no próximo período de programação dos fundos comunitários, os apoios serão de tal forma atrativos, que os jovens regressem à terra”.

E os apoios passam, segundo Francisco Gomes da Silva, pelo “financiamento através do PRODER (Programa de Desenvolvimento Rural)” e pela “medida recente vocacionada para estágios remunerados das atividades económicas neste setor”.

 

Somos Portugal” foi o 3º programa mais visto do dia

O programa da TVI “Somos Portugal”, que foi transmitido em direto do recinto da Feira Anual da Trofa, na tarde de domingo, foi o terceiro programa mais visto do dia, com 32 por cento de share, ou seja, cerca de um milhão e 150 mil pessoas viram o programa. O barómetro de audiências da JFK, aponta ainda para 11,9 por cento de rating (taxa média de audiência por segundo).