A Assembleia Municipal aprovou, com a abstenção do PSD e CDS e das juntas de freguesias lideradas por autarcas destes partidos, o Orçamento e plano de atividades para 2012.

85 mil euros. Este é o valor que diferencia o orçamento de 2011 com o do próximo ano, apresentado e aprovado pelo PS (com abstenção de PSD e CDS), na última Assembleia Municipal do ano, se expurgado do Plano Anual
Municipal (PAM) e do Plano Plurianual de Investimentos (PPI). Mas contra esta diferença mínima (47.035.000 euros em 2012 contra 46.950.000 euros de 2011) surge uma “substancial”, sublinhou Magalhães Moreira, vice-presidente da Câmara da Trofa e responsável pelas finanças do município: “Para 2012 estão considerados os cortes propostos pela Deloitte, no projeto de recuperação financeira da autarquia e tiveram que ser incluídos, sem qualquer corte, todas as verbas necessárias para a concretização dos projetos financiados pelo QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional)”, frisou.

São eles o INFAM – Introdução de Mecanismos Facilitadores de Acessibilidades aos Municípios, PRU (Parcerias para a Regeneração Urbana), o Parque Escolar, o Parque das Azenhas, a Gestão da Iluminação pública do município, o Posto de Turismo e Sistemas de Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos. 

O autarca salientou ainda a possibilidade da abertura de uma rubrica para aproveitar “verbas parcelares”, no valor de “200 mil euros, para “projetos de ampliação, requalificação e construção de novos estabelecimentos escolares e construção da Escola 2/3 da Trofa”.

Leia a reportagem alargada na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa. 

{fcomment}