O Colégio da Trofa comemorou Dia da Operação Nariz Vermelho. Comunidade escolar vestiu-se a rigor e ajudou a associação a angariar fundos e a divulgar o trabalho desenvolvido juntos dos doentes hospitalizados.

 Alguns dos alunos mais novos do Colégio da Trofa não sabiam bem o que era a Operação Nariz Vermelho, mas mesmo assim vestiram-se a rigor e participaram nas atividades que decorreram na manhã do dia 8 de abril. Com camisolas vermelhas e narizes de palhaços, alunos e professores do Colégio da Trofa vestiram-se para receitar alegria. O estabelecimento foi uma das 77 escolas em todo o país que aderiram ao Dia da Operação Nariz Vermelho. Cátia Oliveira, Francisca Carvalhal, Mariana Santoalha, Ana Freitas e Marta Sousa são as responsáveis pela vinda da iniciativa ao Colégio. Estas alunas do 12º ano formaram o Grupo Mimos e Companhias e trabalharam o tema da disciplina de Área de Projeto: a solidariedade. O trabalho escolar extravasou a sala de aula e “foi muito bem recebido por toda a comunidade escolar”, explicou Francisca Carvalhal.

Para além da divulgação do trabalho da associação, esta atividade serviu também para a angariação de fundos. “Conseguimos juntar algum dinheiro, que vai ser entregue, na totalidade à Operação Nariz Vermelho”, afirmou a jovem.

No Colégio da Trofa ninguém ficou indiferente à onda solidária. Manuel Pinheiro, diretor do estabelecimento, sublinhou que “está ação foi o corolário de todo o trabalho desenvolvido pelas alunas ao longo de muitos meses”. “Queremos acima de tudo que as nossas crianças sejam crianças felizes, com uma consciência solidária”, acrescentou.

Também a Câmara Municipal da Trofa se associou ao Dia da Operação Nariz Vermelho. “Isto é uma prova de que as instituições de ensino do nosso concelho, quer as particulares quer as públicas, estão sempre atentas a questões relacionadas com a solidariedade e prontas para ajudar naquilo que a comunidade precisar”, evidenciou a vereadora da Educação, Teresa Fernandes

Na zona Norte, a Operação Nariz Vermelho faz visitas aos doentes do Hospital de S. João e do IPO (Instituto Português de Oncologia) do Porto, Braga e Coimbra. “A associação leva, através de visitas regulares semanais, os palhaços às crianças hospitalizadas”, explicou Julieta Guimarães, representante da Operação Nariz Vermelho.

 

A associação já comemora a data com atividades nas escolas há dois anos, mas esta foi a primeira vez que instituíram o Dia do Nariz Vermelho. “Neste que é o Ano Europeu do Voluntariado decidimos criar um dia específico para promover esta ação, esperando que possamos continuar a crescer nos próximos anos”, acrescentou a responsável.

O que começou como um simples trabalho de Área de Projeto, transformou-se numa iniciativa que envolveu toda a comunidade escolar e que vai ajudar a levar cor e alegria aos dias cinzentos de quem está hospitalizado.