Tinha previsto escrever este texto sobre os Jogos Olímpicos, para felicitar o Nelson Évora, a Vanessa Fernandes, o Rui Pedro e todos os outros atletas que durante quatro anos estão longe das luzes da "ribalta", mas a quem todos exigem resultados nos Jogos Olímpicos. Independentemente dos resultados alcançados e até de algumas declarações erradas ou infelizes, estes atletas merecem o nosso reconhecimento e o nosso apoio.

   Diferente sentimento tenho em relação ao presidente do Comité Olímpico Português e aos nossos governantes. Sem que tenhamos condições em Portugal para proporcionar aos nossos atletas os mesmos meios que em outros países, não podemos exigir resultados. As declarações de Vicente Moura, uma semana antes de terminarem os Jogos, foi um gesto de desistência. Os resultados alcançados por Nelson Évora, por Gustavo Lima e por todos os outros atletas portugueses já depois do responsável da delegação ter feito um balanço negativo espelham o grande brio profissional e a grandiosidade da comitiva portuguesa!

 

METRO – ELES NÃO TÊM VERGONHA NA CARA?!

Mas, um outro assunto merece uma abordagem neste texto, o Metro.

Não consigo conter a revolta para com o governo, a junta metropolitana e o presidente da Câmara da Trofa!

Sei que a responsabilidade principal é do governo (deste governo do PS e do anterior do PSD/CDS), mas é impossível continuar a assistir ao presidente da Câmara da Maia a defender o Metro para a Trofa enquanto o presidente da Câmara da Trofa manifesta compreensão pelos incumprimentos do governo.

Enquanto a secretária de estado dos transportes, Ana Paula Vitorino, goza com o povo da nossa região e mente ao dizer que não há atrasos da parte do governo, o presidente da Câmara da Maia levantou a voz dizendo "chega de brincar com as pessoas", mas o presidente da Câmara da Trofa esconde que há incumprimento do governo em relação aos prazos para a linha da Trofa.

Esta vergonha é maior se nos lembrarmos que, há pouco mais de um ano, Bernardino Vasconcelos e Joana Lima pareciam que estavam num casamento a tirar fotos ao lado do noivo (José Sócrates) aquando da assinatura do acordo entre a Junta e o governo sobre o prolongamento do Metro.

Este acordo garantia que até ao dia 30 de Junho de 2008 o concurso da linha da Trofa seria lançado.

Na altura, Bernardino Vasconcelos e Joana Lima "cantaram" vitória. Hoje, comprovada que está a mentira, ambos permanecem "com o rabo entre as pernas" para não levantar grandes ondas.

Esperam certamente que a obra seja lançada no espaço de um ano para poderem usar isso a tempo das eleições… uma vergonha!

O presidente da Câmara da Trofa parece, por isso, ter medo de dizer a verdade sobre este governo que nos humilha, que goza com a Trofa e os trofenses, que vai gastar 240 milhões de euros para fazer 2 quilometros de Metro em Lisboa, mas é incapaz de gastar muito menos para cumprir com a linha da Trofa.

Joana Lima está no "mesmo saco" e agradada com o papel do presidente da Câmara. Ambos devem ter um pacto de não agressão. Mas enquanto este pacto durar, a Trofa continua a perder!

 

Jaime Toga

http://jaimetoga.blogspot.com/