obras-dos-parques-16

Presidente da Câmara está “convencido” que as festas de Nossa Senhora das Dores poderão já decorrer no Parque, mas a Expotrofa “dificilmente” será realizada neste local. Atraso das obras poderão levar ao corte de comparticipação comunitária.

A Câmara Municipal da Trofa não vai conseguir cumprir o prazo de execução da candidatura da Requalificação dos Parques Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, que termina a 30 de junho de 2014, nem realizar a Expotrofa 2014. Quem o diz é Sérgio Humberto, presidente da Câmara da Trofa, que adiantou em exclusivo ao NT e à TrofaTv que as obras “dificilmente” estarão concluídas a tempo da realização da Expotrofa que decorre a partir do primeiro fim de semana de julho.

A obra da Requalificação dos Parques está a ser executada em duas empreitadas, uma que começou em finais de abril de 2013 e que deveria ter ficado concluída, de acordo com o contrato, até novembro desse ano e que está a ser executada pelo consórcio ABB Europa Ar-lindo e à qual foi dada uma “extensão de prazo até 15 de abril de 2014”, e uma segunda fase, que seria da responsabilidade da Metro do Porto, mas que acabou por ser a Câmara da Trofa a lançar o concurso, em 2013, e cuja adjudicação foi feita em janeiro de 2014 à empresa Edilages pelo valor de 541.600 euros, com um prazo de execução de 180 dias, ou seja 6 meses. O processo, que ainda não foi remetido a Tribunal de Contas para Visto Prévio por falta de verbas da Câmara “para fazer o compromisso”, como adiantou na última reunião de Câmara, que decorreu na quinta feira passada, o vice-presidente António Azevedo, terá de ser analisado no prazo de 30 dias e só após pronúncia do tribunal, a Câmara deverá dar início à empreitada. Assim o prazo para terminar a obra de ligação dos parques terminará em outubro, mas a candidatura que tem final previsto para junho, de acordo com Sérgio Humberto, terá “uma redução no valor da comparticipação comunitária de 50 por cento caso termine após 30 de junho”.

obras-dos-parques-11

O presidente da Câmara admite estar “preocupado” com esta situação, por apenas “22 por cento da obra estar executada”, mas está “convencido” de que as festas de Nossa Senhora das Dores já possam ser no espaço requalificado dos parques”.

Quanto à empreitada de união dos parques, adjudicada à Edilages, o presidente adiantou que reuniu com a empresa que lhe garantiu que ” não necessita deste tempo (seis meses) para realização da empreitada”, mas há outras “questões que queremos compatibilizar”. “Queremos que a Edilages faça o desmantelamento do pontilhão junto à EB2/3 e do pontilhão de Real, pois estas terras serão utilizadas no canal”, frisou.