No passado dia 4 de Novembro, Barack Obama foi eleito o 44º presidente dos Estados Unidos da América.

Nunca nenhuma eleição foi tão emocionalmente vivida nos Estados Unidos e em todo o mundo, que comemorou efusivamente a vitória do primeiro presidente negro dos Estados Unidos da América.

A historia deste homem simples e lutador, mas com grande carisma, cativou o mundo e despertou simpatias, mesmo nos mais sépticos e nos que não concordam com as politicas preconizadas pelo Estados Unidos, porque Obama promete mudar.

Barack Hussein Obama, nasceu há 47 anos. Filho de pai negro, pastor de cabras no Quénia e de uma mulher branca Norte Americana, do estado do Kansas.

Aos 6 anos de idade, após o casamento da mãe com um Indonésio, mudou-se para Jacarta e ai permaneceu durante 4 anos.

De regresso aos Estados Unidos da América, ficou entregue aos cuidados dos avós maternos no Hawai.

Estudou Ciências Politicas e foi um aluno brilhante, defensor de causas que envolviam discriminação, sendo mais tarde eleito senador do estado do Illinois.

É casado com Michelle e tem duas filhas, Malia e Sasha, aos quais prometeu um cão, caso ganhasse as eleições.

A projecção nacional de Obama, iniciou-se na Convenção Nacional Democrata de 2004, quando no seu discurso exaltou a admiração que sentia pelo pai, um homem simples que trabalhou arduamente para conseguir uma bolsa de estudo nos Estados Unidos da América, terra sinónimo de liberdade, oportunidades e esperança.

Era o inicio de um longo caminho que o conduziu à Casa Branca.

É de facto um homem com simplicidade, que sempre lutou afincadamente pelos seus ideais e convicções, um homem de família, uma nova esperança para os Estados Unidos e para o mundo.

Eleito num contexto de crise mundial, Obama, parece simbolizar não só a esperança, mas a certeza de uma viragem nas relações externas dos Estados Unidos, nomeadamente com a Rússia, Cuba, Venezuela, China e Irão, e em questões internas com grande impacto em todo o mundo.

Obama promete grandes transformações e reparar alguns estragos da política de Bush.

A nível social a sua eleição, significa já uma alteração profunda numa sociedade multi racial mas ainda racista.

Obama, critico da guerra do Iraque, prometeu e vai certamente cumprir, a retirada das tropas do Iraque, num prazo de 16 meses, acabando assim com uma guerra há muito sem justificação valida e que mais não parecia do que uma teimosia de Bush.

O encerramento da prisão de alta segurança Guantanamo, símbolo dos excessos da guerra contra o terrorismo merece também aplausos do mundo.

A nível interno, Obama promete apresentar soluções rápidas para a crise financeira, criar milhares de postos de trabalho, incentivar a economia com o lançamento de obras públicas, renovar a politica energética com apostas claras nas energias renováveis e proporcionar melhorias na qualidade de vida dos americanos.

Obama, apresenta-se como um “Presidente Global”, que parece pôr fim a uma América racista, altiva e mesmo arrogante, fruto de uma politica conduzida por Bush, que para mim se achava o dono do mundo e que se auto intitulou protector das nações em perigo, mas sempre com grandes interesses por detrás.

Obama não terá certamente tarefa fácil, os desafios são enormes, o mundo está com os olhos postos nele, mas espero que a esperança e as propostas de mudança se tornem uma realidade, para bem de todos.

Para terminar, felicito o nosso jovem concelho, pelos seus 10 anos de vida, que a esperança seja sempre um motor para um crescimento harmonioso e sustentado.

 

Teresa Fernandes