jose moreira da silva 

Depois de ter sido eleita Presidente da Câmara Municipal da Trofa, Joana Lima desdobrou-se em entrevistas a diversos órgãos de comunicação social. Foi notícia porque ganhou a Câmara Municipal ao PSD, a única que mudou do PSD para o PS, no Distrito do Porto. Foi uma novidade apetecível para a imprensa.

Passado pouco mais de meia dúzia de dias das eleições autárquicas, Joana Lima foi entrevistada pelo Porto Canal. Estava bem aperaltada, em termos de visual, para aparecer no pequeno ecrã, aliás como também estava aperaltada na sua tomada de posse, só que não se preparou convenientemente para uma entrevista, que se previa um pouco mais aprofundada do que muitas outras que já tinha concedido. Uma entrevista de cerca de uma hora, é obviamente, uma entrevista em que a probabilidade de surgirem perguntas menos frívolas é muito grande.

Para quem foi Vereadora durante alguns anos, deveria saber pelo menos o mais óbvio mas não soube responder com prontidão sobre o valor do orçamento camarário, titubeou, isto é: hesitou entre os cinco milhões de euros e cinco milhões de contos, assim como não soube qual o valor da receitas próprias, ou qual a percentagem que vinha directamente do orçamento de estado. Para quem os números não são o seu forte, Joana Lima deveria ter sido assessorada convenientemente, pelo menos para poder responder às perguntas óbvias que se previa virem a ser efectuadas. Não o foi e “meteu os pés pelas mãos”. Precisa urgentemente de Assessores, que para além de a formarem e informarem sobre os números, também saibam dizer não. Que não sejam só “Yes, Senhora Presidente!”.

Joana Lima, esteve muito bem quando afirmou, na referida entrevista ao Porto Canal, que vai cumprir a promessa de redução para metade das taxas camarárias de ligação à rede pública da água e do saneamento. Também esteve muito bem quando defendeu, no discurso de tomada de posse, uma “cultura de aproximação” entre a autarquia e o Porto. Tem razão quando afirma, que “não podemos olhar para a Trofa nos acanhados limites do seu território, como se nada passasse para além dele”. A verdade é que, sociologicamente, a Trofa é Área Metropolitana do Porto.

De lamentar foi a afirmação de Joana Lima na referida entrevista, que embora tivesse feito, ao Povo da Trofa, dez compromissos eleitorais só iria cumprir, nestes quatro anos, apenas três ou quatro desses compromissos eleitorais. Ainda não tinha tomado posse e já estava a dizer aos Trofenses que as promessas eleitorais não são para cumprir num mandato. Ó Senhora Presidente: Já!?!  Olhe que foi eleita para quatro anos, na base dos seus dez compromissos, e não para oito e muito menos para doze anos!

Quanto ao que afirmou, na sua tomada de posse, de que a decisão da construção dos Paços do Concelho seria tomada em cem dias, também esteve bem. É razoável esse tempo. Pense Senhora Presidente, mas pense bem e saiba rodear-se de bons técnicos dessa área e não copie a decisão, do executivo anterior, de única e simplesmente se construir os Paços do Concelho. Ó Senhora Presidente, pense em grande e pense na construção de uma zona cívica e de lazer onde esteja, entre outros edifícios de utilidade pública para o futuro, o edifício dos Paços do Concelho, numa nova centralidade que sirva todas as Freguesias do Concelho. Uma grande zona que venha a ser, no futuro, a sala de visitas do Concelho da Trofa e não apenas de uma só Freguesia. Isto é pensar em grande, senhora Presidente. O futuro da Trofa exige isso de si.

Todos os órgãos autárquicos do Concelho da Trofa, Câmara Municipal; Assembleia Municipal; Assembleias de Freguesia e Juntas de Freguesia já tomaram posse e estão prontos para funcionar em pleno. Todas as sessões de tomada de posse, foram dignas mas é de destacar a dos órgãos municipais que teve uma sessão muito participada e a da Freguesia do Muro em que estiveram presentes muitos Murenses e também Joana Lima e Paulo Portas. Este fez questão de cumprir a promessa feita em campanha eleitoral, de estar presente na tomada de posse dos eleitos do CDS-PP. Prometeu e cumpriu. Que belo exemplo de um político que veio propositadamente de Lisboa à Trofa cumprir uma promessa eleitoral! Foi bonito!

José Maria Moreira da Silva

moreira.da.silva@sapo.pt