quant
Fique ligado

Ano 2012

O Norte a definhar e Lisboa a gastar

Publicado

em

A região Norte tão próspera num passado recente, era a região que mais contribuía para as exportações e para a riqueza do País, está cada vez mais a definhar, com o beneplácito e o “empurrão” de Lisboa, que desvia constantemente fundos de outras regiões, para o seu próprio progresso, sem ter em conta o desenvolvimento harmonioso do País. Assim se desenvolve uma capital cada vez mais centralista e macrocéfala.

No espaço de pouco mais que uma década, a região Norte perdeu o “comboio” da União Europeia e ficou mais pobre, mas mesmo assim, Bruxelas continua a autorizar o desvio de verbas das regiões mais pobres para Lisboa. Mais: a larga maioria do dinheiro dos fundos comunitários não sai da capital. O resto do País pouco recebe. O argumento que o poder político, instalado na capital, utiliza para justificar os permanentes desvios de verbas avultadas para Lisboa é de que «o que é bom para Lisboa é bom para o Estado», como que se o que fosse bom para as outras regiões não fosse também bom para o próprio Estado. Ou seja: até parece que o Estado é só Lisboa. Não é; Portugal é todo o País; o Estado somos todos nós!

São tantas as discrepâncias existentes entre Lisboa e o resto do País. Atente-se só a algumas:

Na tabela dos Concelhos com menor poder de compra per capita em Portugal, dezasseis estão situados na região Norte, cujo poder de compra é de 86% da média portuguesa. No topo, Lisboa mantém o pódio; está em primeiro lugar com 137% da média nacional. A hegemonia do sul é ainda verificável pelas pontuações dos municípios da área metropolitana de Lisboa: Oeiras, Cascais, Alcochete, Montijo e Almada;

– No tocante ao desemprego são os Concelhos da região Norte do País, a manterem taxas acima da média nacional, e a continuar a crescer desmesuradamente. Metade dos jovens sem trabalho e metade dos desempregados de longa duração, são da região Norte. No que toca aos salários, em Lisboa são muito bem pagos, bastante acima dos valores pagos, para a mesma função, na região Norte. A precariedade no emprego, contratos a prazo e recibos verdes, é muito mais acentuada na região Norte. A maioria das empresas que declararam falência no último ano, estavam sediadas na região Norte;

– O metro do Porto recebeu do estado, na última década, cinco vezes menos do que as verbas atribuídas ao metro de Lisboa. A segunda fase de expansão da rede portuense, que serviria 200 mil pessoas, está na gaveta há mais de um ano e o prolongamento da linha da Trofa, entre o ISMAI e a Trofa, está quase há uma década «encalhado» nas decisões políticas de Lisboa;

– Da verba total do Serviço nacional de Saúde (SNS) distribuída, nos últimos anos, a região Norte tem recebido cerca de 34%, apesar de o Norte abranger 37% da população do continente. O Ministério da Saúde paga menos por cada utente na região Norte, pois cada utente da saúde custa mais 37% a Sul do que a Norte. O financiamento da Administração Regional de Saúde do Norte (ARSNorte) está há vários anos abaixo da média nacional.

Apesar das devoções e das sapiências, dos cultos e das apreciações, das exegeses e das ilusões, o centralismo macrocéfalo lisboeta continua a vigorar e a falta de voz legitimada pelo voto e consensual na região Norte, é também culpada pela falta de equidade e coesão nacional. É a triste realidade e não qualquer tipo de «guerra» Norte/Sul. Passam os anos e o discurso mantém-se: a região Norte perde riqueza, perde voz e perde peso político. E, com isso, muito perde Portugal!

Publicidade

José Maria Moreira da Silva

moreira.da.silva@sapo.pt

www.moreiradasilva.pt

 {fcomment}

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Ano 2012

Verbas da Câmara para as obras da Junta tema da Assembleia

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária de dezembro da Assembleia de Freguesia de S. Romão foram aprovados o Plano de Atividades e Orçamento para 2013.
Informação sobre a reunião do executivo e membros da Assembleia de Freguesia com Joana Lima sobre as “transferências deliberadas em maio de 2009 e destinadas à remodelação da Casa Quinta de S. Romão” provocou divergências.

(mais…)

Continuar a ler...

Ano 2012

Assembleia de S. Mamede – Documentos previsionais aprovados com abstenção do PSD

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária da Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado foram aprovadas, com a abstenção do PSD, as propostas para o Plano de Atividades, PPI, Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013.

O Plano de Atividades, o Plano Plurianual de Investimentos (PPI), Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013 estiveram em discussão na última Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado, que decorreu na quinta-feira, dia 20 de dezembro.

(mais…)

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);