O Agrupamento de Escuteiros de Santiago de Bougado pretende divulgar o ideal escutista pelos jovens da freguesia. O NT foi conhecer melhor o Agrupamento 447 e descobrir quais são os planos para o futuro.

Fundado a 13 de Julho de 1975, o Agrupamento 447 do Corpo Nacional de Escutas leva o ideal escutista aos quatro cantos de Santiago de Bougado.

Ao longo de todos estes anos, o Agrupamento tem vindo a crescer e conta, actualmente, com 110 escuteiros. “Todos os anos, temos elementos que terminam a sua caminhada escutista aos 22 anos, e fazem a sua ‘partida’, deixando de fazer parte do efectivo do agrupamento. Em contrapartida, o número de novas admissões de crianças que querem entrar para o escutismo, é quase sempre superior” explicou Luís Neves, chefe do Agrupamento.

O responsável explicou que a finalidade do Corpo Nacional de Escutas é a “educação integral de crianças e jovens de ambos os sexos”, em conformidade com a “pedagogia concebida pelo fundador do Escutismo, Baden-Powell, e os ensinamentos de Cristo”. “Tendo em conta a enorme variedade de actividades de ocupação de tempos livres que são oferecidas actualmente aos jovens, podemos dizer que, de facto, o escutismo tem muito valor”, acrescentou. Luís Neves recorreu à sua própria experiência para justificar a importância de ser escuteiro: “É de toda a importância ser escuteiro. Nós, dirigentes, já recebemos muito do escutismo, e agora sentimos a ‘obrigação’ moral e voluntária de poder possibilitar a outros jovens a oportunidade e a alegria de serem escuteiros”.

O chefe afirmou, ainda, que “a formação escutista pretende ajudar a formar os cidadãos no que diz respeito a carácter, cidadania e saúde, tornando os jovens capazes, moral e fisicamente para servir os seus semelhantes e tornar a sociedade mais justa e mais humana”.

Para incutir estes valores nos mais novos, o Agrupamento desenvolve várias actividades “tanto locais, como regionais, nacionais ou mesmo internacionais”. As acções de voluntariado, “como a assistência aos peregrinos a Fátima e a Santiago de Compostela, ou as campanhas do Banco Alimentar”, também fazem parte das iniciativas dos escuteiros bougadenses. Para além disso, têm desenvolvido actividades em parceria com a Junta de Freguesia, a Câmara Municipal e outros agrupamentos ou colectividades.

O plano de actividades do próximo ano já está concluído e “contempla diversas actividades específicas para cada secção e algumas a nível de Agrupamento”. “Destaco a celebração das promessas dos novos elementos e as passagens de secção a realizar em Fevereiro, a comemoração do nosso 36º aniversário em Julho, e a participação nas Jornadas Mundiais de Juventude a realizar em Agosto, em Madrid”, enumerou Luís Neves.

O Escutismo tem mais de cem anos. Actualmente, “está a viver um momento muito importante ao nível da formação, com a implementação do novo Programa Educativo, que foi aprovado em Conselho Nacional”. “O objectivo e o método continuam a ser os mesmos, mas as ferramentas para a sua boa execução estão sempre em permanente aperfeiçoamento e adaptação aos tempos, o que faz do Escutismo um movimento sempre actual, atractivo e útil”, esclareceu o responsável, confessando que “o próximo ano será de adaptação e de aprendizagem”.

A sede do Agrupamento é, actualmente, num espaço cedido pela paróquia. “É manifestamente insuficiente para as nossas necessidades, pois embora grande parte das nossas actividades se realizem fora da sede, em contacto com a Natureza, quando o tempo não ajuda, temos que trabalhar com os espaços que temos”, atestou Luís Neves. A edificação do Centro Cívico de Santiago de Bougado poderia resolver o problema: “Existe a possibilidade de virmos a ter uma nova sede integrada no futuro Centro Cívico, o que, sem dúvida, será uma excelente mais-valia, para desenvolvermos um trabalho de qualidade”.