“O Douro na Tela” é o nome da exposição que pode ser visitada na Casa da Cultura da Trofa até 25 de Setembro.

“É a minha visão de algumas paisagens do Douro, desde o Douro Internacional até à Foz” É desta forma que Miguel Costa, autor dos quadros, descreve a exposição “O Douro na Tela”, que foi inaugurada no sábado e pode ser visitada até 25 de Setembro, na Casa da Cultura da Trofa.

Ao todo, são seis obras, pintadas com a técnica de “óleo sobre tela, com alguma textura, para conferir um ar mais rústico aos quadros”, explicou o pintor, que expõe na Trofa pela primeira vez. “A ideia era sintetizar as formas, mas mantendo alguma liberdade”, sustentou. Assim, as formas geométricas abundam nos quadros, bem como as cores quentes – laranja, vermelho e amarelo – misturadas com o azul.

Na cerimónia de inauguração esteve presente Assis Serra Neves, vereador da Cultura, que evidenciou a “pluralidade de exposições que passam pela Casa da Cultura”. “É uma exposição interessante, que quisemos dar a conhecer aos trofenses”, declarou. No entanto, os trofenses parecem ainda não estar muito motivados para visitar a Casa da Cultura, pois foram poucos os que marcaram presença na inauguração. O autarca trofense adiantou que a solução para este desinteresse pode passar pela “deslocalização das exposições” para outros espaços que não a Casa da Cultura, à semelhança do que aconteceu com a iniciativa “Um café e um poema”, que levou a poesia ao Café Convívio, em Santiago de Bougado.

Miguel Costa é natural de Riba d’Ave, Vila Nova de Famalicão, e o gosto pela pintura “surgiu naturalmente”. “Comecei a desenhar em pequenino, embora só mais tarde é que surgiu o gosto pela pintura”, garantiu o pintor, que ainda não tem mais nenhuma exposição na agenda, embora pondere a hipótese de levar “O Douro na Tela” para Viana do Castelo.