À medida que foi avaliando o rescaldo das últimas edições da festa em honra Nossa Senhora das Dores, Jorge Silva foi alimentando o desejo de que, se um dia tivesse a oportunidade de as organizar, iria mudar muito do que era a organização da romaria. A oportunidade surgiu este ano, com o convite endereçado pelo pároco de S. Martinho de Bougado, Luciano Lagoa.

Revolução será uma palavra com demasiada carga para o que Jorge Silva e restante equipa, a representar a aldeia da Gandra, estão a preparar, mas novidades não faltam. Em pouco mais de um mês como presidente da comissão de festas, Jorge Silva, ao contrário do que reza a regra lusa, tem, “praticamente, tudo contratado”. “Eu gosto de resolver as coisas rapidamente. E se tivesse andado mais cedo, ainda conseguia ir buscar artistas que queria. A altura do agosto é complicado porque há muitas festas”, contou em entrevista ao NT.

E por falar em artistas, o programa tem como cabeça de cartaz Mickael Carreira, que atua na sexta-feira, 17 de agosto. Para sábado está reservada uma das novidades. Após o fogo de artifício, Jorge Silva vai “combater” a “debandada” que acontece tradicionalmente com animação musical de dois DJ. “Há que segurar a juventude, para não deixar a festa esmorecer”, sublinhou. A complementar esta aposta estará uma zona de bares, que estarão concentrados numa zona, assim como a restauração, que terá uma rua fechada em exclusivo. “Assim, quando quiserem comer alguma coisa, as pessoas sabem onde podem encontrar todas as opções”, explicou Jorge Silva.

Leia mais na edição 668 do Jornal O Notícias da Trofa