Vinte e quatro atletas compõem a equipa de bilhar do Clube Slotcar da Trofa. Pontapé de saída para a nova temporada foi dado na sextafeira, 15 de setembro. 

Foi com grande expectativa e ambição que 17 dos 24 atletas estiveram presentes para o arranque da nova época, por entre atividades preliminares de inscrição: distribuição dos atletas pelas diferentes competições, fotografias individuais e coletivas, preparação dos exames médicos, entrega das camisolas oficiais e reuniões para o estabelecimento de rotinas de treino e jogo.

O presidente da direção, João Pedro Costa, empossou quatro capitães por entre os elementos do plantel, Rogério Oliveira, Ricardo Dias, Briguel e Mário Costa, que serão os responsáveis por toda a dinâmica das equipas no decurso da época. Para além das provas federativas, o clube também vai participar em provas regionais, como a Bilharmania, a Bilharsinde e a Liga Abelha, essencialmente disputadas entre os distritos de Braga e do Porto.

Rogério Oliveira, residente em Famalicão, capitão das equipas que vão disputar as provas da federação, Pool Português e Pool (bilhar de maiores dimensões), fez rasgados elogios à estrutura existente no Clube Slotcar da Trofa: “Tendo em conta a atual conjuntura do País, a direção deste clube não paga ordenados ou qualquer outra compensação aos jogadores mas, em contrapartida, oferece condições fantásticas para a prática do bilhar ao mais alto nível, ao mesmo tempo que não descura a formação de possíveis novos talentos da terra. Não encontro paralelo fora de grandes centros como Braga e Porto”, asseverou.

Questionado sobre os objetivos a que se propõe para a nova época, o atleta destacou que “nos últimos anos disputei conjuntamente com o seu colega, Pedro Forte, a 1ª Divisão em Pool Português por uma equipa de Vila do Conde e, a nossa vinda para a Trofa e junção a mais quatro elementos cá da terra, com quem fechamos o plantel, só poderá ter como objetivo catapultar o clube para uma nova subida de divisão, já que na época transata ascendeu à 2ª divisão. Já na vertente de Pool, onde estamos inseridos na 1ª Divisão, será o de chegar novamente à fase intermédia e final da competição, onde estão as melhores equipas portuguesas. No fundo já percebemos todos que a ambição desta direção é ter o CS Trofa entre os grandes do bilhar em Portugal e é para isso que vamos trabalhar.” 

João Pedro Costa aproveitou o momento para transmitir palavras de incentivo aos presentes, consubstanciado no orgulho que todos devem ter pelo trabalho que está a ser feito por todos, em conjunto, que engrandece o nome de cada um individualmente, mas também da Trofa. “Todos são importantes neste clube, mas o clube está acima de todos”, referiu.

O responsável reconheceu ainda que este ano o número de atletas diminuiu relativamente à época anterior, informando que tal teve a ver, essencialmente, com a não constituição de uma equipa feminina. “A nossa equipa feminina tinha algumas das melhores atletas nacionais, inclusive campeãs nacionais, e não obstante a sua qualidade era necessário recrutar atletas de longe, tínhamos até uma atleta de Viana do Castelo e outra de Espinho. Fizemos um esforço na expectativa de que o bilhar no feminino fosse apadrinhado pela Trofa, mas realidades são realidades, e não houve apoio que desse auxílio e continuidade ao projeto. De nada nos serviu o facto de termos a Câmara Municipal a ser dirigida por senhoras, pois nem para isso houve sensibilidade”, asseverou.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

 {fcomment}