Estamos a atravessar a quadra festiva mais importante da civilização ocidental, o Natal. Simbolicamente o nascimento de uma nova mentalidade de solidariedade e humanismo, aproveitando para festejar o nascimento de Jesus Cristo enquanto Homem.

   Assiste-se a um nunca mais acabar de acções de solidariedade e ajuda fraterna que, se alguém viesse de repente de outro planeta, julgaria a Humanidade no último patamar da evolução, onde os mais fortes protegem os mais fracos e desfavorecidos, e onde os apelos à paz e solidariedade são constantes.

Mas por outro lado também se assiste a um consumismo desenfreado e pouco abonatório para os valores que se pretendem promover nesta quadra. O que tem valor já não é a celebração do Homem Novo. As crianças já pouca importância dão ao que se pretende celebrar, algumas mesmo já não têm a certeza do que se celebra, esperando apenas as prendas que o "Pai Natal" lhes vai dar.

Nestas pouco mais que duas semanas, apesar do comércio começar a alargar este período, procuramos "lavar" a nossa consciência por tudo o que não fizemos nas outras cinquenta semanas. Contribuímos para uma qualquer acção de solidariedade para fazermos esquecer a nossa insensibilidade perante os outros durante o resto do ano, por termos passado junto de alguém que precisava e olharmos para o lado, por termos esquecido as nossas obrigações para com aqueles que mais próximos necessitam de nós. As vezes só precisariam de algum conforto e de um pouco do nosso tempo. A desculpa que apresentamos é sempre a mesma, não temos tempo. Vivemos a correr e provavelmente morreremos devagar…

Aproveitemos estes tempos em que, quase todos nós, estamos mais disponíveis para estes pensamentos para começarmos a tentar fazer que aquela frase velhinha "Natal é quando um homem quiser" deixe de ser apenas um lugar comum e passa a ser uma realidade.

Apesar destas minhas palavras ainda acredito numa sociedade mais justa e fraterna construída por todos nós, e em que a solidariedade não seja uma campanha da Natal.

Um Feliz Natal para toda a gente e um excelente Novo Ano.

P. S. – Não posso deixar de dar os meus parabéns ao Noticias da Trofa pelos seus 5 anos de vida e tenho a certeza que os próximos anos trarão um grande desenvolvimento ao projecto que estão a tentar construir.

Paulo Queirós

pauloqcruz@netcabo.pt