A GOT festejou o Natal no dia 22 de Dezembro com os atletas, encarregados de educação e equipa técnica. Numa tarde repleta de animação e ginástica, alunos e professores incentivaram os pais para a prática desta modalidade desportiva.

   O natal chegou mais cedo à Ginástica Olímpica da Trofa (GOT). A sede desta associação, em S. Mamede do Coronado, recebeu encarregados de educação, ginastas e professores, no dia 22 de Dezembro para a comemoração do natal.

Ao longo da tarde, os encarregados de educação foram incentivados para a prática desta modalidade desportiva. Deste modo, puderam experimentar um pouco do que estes pequenos ginastas fazem nos treinos semanais.

Artur Romão, responsável pelo projecto GOT, mostrou-se satisfeito com a adesão dos encarregados de educação, peças fundamentais na aprendizagem da modalidade. Lembrou ainda que "com as exigências da ginástica é muito difícil os alunos estarem cá duas ou três horas, porque os pais não têm horários de trabalho para poderem acompanhar, e não está a ser fácil porque a conjuntura social está a dificultar muito este tipo de apoio ao exercício", explicou o responsável. Com esta festa, os pais tiveram oportunidade de "experimentar" alguns dos exercícios que os filhos realizam, porque "a formação complementa-se com a actividade física", acrescentou Artur Romão.

Com cerca de 90 por cento alunos residentes no concelho da Maia, um dos primeiros objectivos "decorre de preocupações de âmbito pedagógico, ou seja nós estamos ainda a estruturar o clube que está a nascer "com muitas dores de parto", mas com a convicção de que daqui resultará um dia um clube com alguma consistência", concluiu o responsável.

Para Maria José Noites, encarregada de educação, o facto de ter de se deslocar da Maia para deixar a filha nos treinos "causa transtorno, é um facto, mas faço-o porque sei que a minha filha adora ginástica". Para além da prática de uma modalidade desportiva, Maria José, diz existir na Ginástica Olímpica da Trofa "o espirito de família, o que é sempre bom, não pela parte da competição, mas pela aprendizagem, ajudando na capacidade de resistência ao sofrimento e na obtenção de um método de trabalho", concluiu.

 

Crianças festejam natal dançando Ballet

 

Numa tarde dedicada à ginástica, o pavilhão desportivo da Ginástica Olímpica da Trofa, acolheu também a festa de natal de Ballet. As crianças vestidas a rigor iam entrando para o pavilhão onde já as esperavam os pais ansiosos por ver o trabalho realizado.

Nas duas coreografias apresentadas, participaram 16 meninas e um menino, com idades compreendidas entre os três e os seis anos. O nervosismo antes da entrada era notável, mas Daniela Monteiro da Costa, professora de Ballet, tranquilizou-os.

Para a professora, responsável pelas crianças há um ano, os diplomas que entregou, foram muito significativos visto que "as crianças têm respondido de uma forma como eu nunca esperava, concluindo os testes com boas notas", afirmou.

"O ballet é muito importante a nível intelectual, a nível de controlo do corpo, saber estar, postura, estabiliza a criança por que acaba por ser um relaxamento. Eu acho uma actividade óptima, principalmente para as meninas porque trabalha o corpo de uma forma extraordinária", explicou. Satisfeita com o trabalho realizado, e com os diplomas entregues, Daniela deixou o apelo "invistam no ballet porque vale sempre a pena".