A aprovação do plano para a construção do Centro Comunitário e o início da segunda fase de construção da nova sede da Junta de Freguesia, foram os pontos-chave da Assembleia de Freguesia de Alvarelhos, que reuniu no dia 20 de Dezembro, na Escola Básica 1, Giesta 1.

   Sem grandes protestos, ou grandes discussões decorreu na passada quinta-feira a Assembleia de Freguesia de Alvarelhos, onde a notícia da aprovação do plano para a construção do Centro Comunitário e o início da segunda fase de construção da nova sede da Junta de Freguesia agradou a todos os membros da reunião.

Joaquim Oliveira, presidente da Junta de Freguesia de Alvarelhos, adiantou que a segunda fase de construção do novo edifício para as instalações da Junta de Freguesia iria ter início. Quanto ao Centro Comunitário, a candidatura para a construção da Creche, Lar e Centro de Dia, foi aprovada. Num investimento de cerca de dois milhões de euros, Alvarelhos foi a única freguesia de concelho onde a candidatura, enviada para um concurso da Segurança Social, foi aprovada. De referir ainda que o Centro Comunitário de Alvarelhos funcionará em parceria com a Associação Mundos de Vida de Lousado.

Durante a reunião foi ainda proposto por todos os membros da Assembleia, um minuto de silêncio em homenagem ao membro falecido Bernardino Rodrigues, do PSD. Um elemento que, segundo o presidente da mesa, José Torres, "era muito interventivo, sempre lutou pelos interesses da freguesia, foi fundador do Rancho de Alvarelhos e fará muita falta a esta assembleia", afirmou.

Em substituição deste membro, a bancada social-democrata contará agora com a participação de Joaquim Marques.

O único ponto da Ordem de trabalhos, a apresentação, discussão e votação do plano de actividades e orçamento para 2008, depois de apresentado a todos os membros eleitos das bancadas socialista e social-democrata, foi votado favoravelmente por unanimidade.

No final, o presidente da Junta esclareceu ainda alguns pontos relativamente à questão do saneamento. E visto que a empreitada, está a ser construída por fases, a "pressão" necessária está a ser feita junto da Trofáguas por Joaquim Oliveira, para que a obra que se arrasta à vários meses possa terminar rapidamente.