A música sacra do grupo Vox Angelis invadiu a Igreja Matriz de Santiago de Bougado, nopassado dia 29 de Março. O concerto em memória das vítimas das Invasões Francesas inseriu-se na Semana Santa 2009 e juntou dezenas de apreciadores de canto e do som dos mais afinados instrumentos.

Na Igreja Matriz de Santiago de Bougado, foram lamentadas, em concerto, as vítimas das Invasões Francesas de há 200 anos. O concerto intitulado “Lamento em memória das vítimas das Invasões Francesas”, com interpretação dos Vox Angelis, juntou dezenas de populares que vieram assistir à sessão musical.

“Este concerto insere-se na evocação do Bicentenário das Invasões Francesas e nós quisemos associar este ano os concertos da Semana Santa da Páscoa também à evocação do bicentenário, até porque o programa dos dois concertos tem um conteúdo eminentemente sacro e realiza-se em duas igrejas, na de S. Martinho e Santiago de Bougado”, explicou António Pontes, vereador do pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Trofa.

A “evocação das vítimas das invasões” era o principal objectivo da autarquia com a realização deste concerto. “Aqui na Trofa houve pessoas que pereceram mediante este conflito que passou pela cidade e acabamos por homenagear essas pessoas que há 200 anos atrás sofreram na pele a força de um invasor”, explicou o vereador.

O grupo Vox Angelis é composto por Pedro Miguel Nunes, barítono, Maria José Ribeiro, soprano, Katarzyna Anna Pereira, violinista, Larissa Shomina, violinista, André Araújo, violetista, Svitlana Gavrikova , violoncelista e Mário Paulo Alves, cravista.

Vereador da Cultura satisfeito com a adesão às iniciativas

 António Pontes, depois de três meses a comemorar o bicentenário da passagem das tropas francesas por Portugal e pela Trofa, fez um balanço “extremamente positivo” e não deixou de frisar a “adesão em massa” da população e das associações do concelho.

“A adesão passa por vários aspectos, desde a colaboração que nós tivemos por exemplo na participação na recriação histórica em que tivemos muitos figurantes a participar de uma forma espontânea e estamos a falar de pessoas das associações culturais, recreativas e também das escolas. Estamos a falar também da forma como as crianças nas escolas se debruçaram sobre esta temática, e recordo o Carnaval”, afirmou.

Recordando todas as actividades já realizadas desde Janeiro, Pontes recordou ainda a adesão de todos aqueles que estiveram apenas a assistir: “temos tido uma adesão fabulosa, as pessoas têm aderido e percebem que estamos a evocar algo que tem um significado para a nossa história, para a história da Trofa”.

Para além do concerto musical no próximo sábado, está já prevista no programa da evocação do Bicentenário das Invasões Francesas, a realização da exposição “A Guerra Peninsular na Banda Desenhada” – Soc. Histórica da Independência de Portugal”, que estará patente de 3 a 12 de Junho, na Biblioteca da Escola Básica 2,3 de S. Romão do Coronado e Covelas