Musica et Tempora protagonizou um concerto na Capela Nossa Senhora das Dores, onde interpretou obras de relevo dedicadas a Maria. Apesar das condições de actuação não terem sido as melhores, as artistas ficaram agradadas com o entusiasmo do público, num dos primeiros dias das festas da cidade da Trofa.

  Rita Crespo e Isabel Calado deram um concerto de música sacra na Capela de Nossa Senhora das Dores, no dia 12 de Agosto, carimbando a segunda actuação do Musica et Tempora na Trofa.

Isabel Calado, em entrevista ao NT, referiu que o convite para a actuação surgiu "por parte do pároco Luciano Lagoa e vice-presidente da autarquia trofense, António Pontes, grandes entusiastas da música antiga. Não foi a primeira vez que actuamos na Trofa, já em Dezembro demos um concerto na bela igreja matriz, também a convite do Padre Luciano".

Formado por dois elementos, Rita Crespo, soprano e Isabel Calado, cravo e orgão, o Musica et Tempora valoriza o  repertório para voz e instrumentos de tecla dos séculos XVII e XVIII de acordo com as actuais correntes "historical informed player".

O repertório de Musica et Tempora inclui "obras compostas durante um período da História da Música Ocidental muito prolífero e com cerca de 200 anos de duração. Interpretamos uma vasta gama de estilos e géneros musicais, repertório sacro e secular dos períodos renascentista, barroco, galante e pré-clássico das várias escolas europeias mais representativas, nomeadamente italiana, ibérica, alemã, francesa e inglesa", referiu Isabel Calado, acrescentando que "todos os concertos têm um tema e são comentados" e exemplificou que em Dezembro, "na Igreja Matriz de S. Martinho de Bougado interpretámos obras de compositores italianos, portugueses e alemães com o objectivo de clarificar uma perspectiva sobre a origem do drama musical e a sua evolução nos estilos que hoje reconhecemos como oratória, cantata e lied. Já o concerto do passado domingo na Capela de Nossa Srª das Dores foi inteiramente dedicado ao repertório sacro de compositores italianos ou ibéricos com marcada influência italiana com especial relevo a obras dedicadas a Maria".

A artista frisou ainda a beleza ímpar da capela de Nossa Senhora das Dores e defendeu que era "um local magnifico para a realização de mais iniciativas deste género. É certo que o concerto decorreu sob condições algo atípicas se compararmos com o que habitualmente ocorre em concertos deste género. Normalmente são pautados pelo silêncio envolvente o que foi manifestamente impossível conseguir pela proximidade das diversões típicas desta ocasião. Desse ponto de vista foi bastante difícil manter a concentração, mas quer o local em si (a Capela), quer as palmas calorosas do muito público presente deixaram-nos profundamente agradadas", frisou.

 

"Uma viagem no tempo através do som"

Fundado em 2005, o Musica et Tempora, privilegia o repertório vocal e para tecla de finais do século XVII e século XVIII. Proporcionar aos ouvintes uma viagem no tempo através do som é o objectivo de Rita Crespo e Isabel Calado.

Natural de Lisboa, Rita Crespo, fez o exame de Canto do Conservatório em 2003 e é aluna finalista na Escola Superior de Música de Lisboa. Já participou no III Curso de Música Antiga da ESMAE e em 2002 estreou-se com o grupo Camerata Fiorentina – um projecto teatrico-musical que consiste na encenação de madrigais italianos do século XVII.

Integrou o elenco da estreia europeia do musical "O último Tango de Fermat", foi convidada para participar como solista na obra ‘Uma Cantata Portuguesa' e em 2006, integrou o elenco da ópera barroca "As Guerras de Alecrim e Manjerona".

Isabel Calado iniciou o estudo do Cravo no Conservatório de Música do Porto e concluiu a licenciatura em Cravo na Escola Superior de Música de Lisboa com uma classificação elevada.

Apresentou-se em diversos pontos do país como solista e integrada em grupos de música de câmara e orquestras, participando, posteriormente na Scarlatti Marathon (maratona na qual se interpretou a integral das obras para tecla de Domenico Scarlatti, a nível mundial). Também fez parte do Júri do Concurso Interno do Conservatório de Música do Porto 2007. Isabel Calado é licenciada em em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e está, actualmente, no último ano da especialidade de Patologia Clínica.