No âmbito do Programa Modelar, que visa o reforço da Rede Nacional de Cuidados Continuados de Saúde, a Associação Mundos de Vida assinou um protocolo de financiamento público com o Governo para a construção de uma nova e moderna Unidade de Cuidados Continuados de Saúde. A nova unidade terá a capacidade para acolher 50 pessoas idosas mais frágeis e dependentes e será situada no centro de Lousado, abrangendo a população dos concelhos da Trofa, Santo Tirso e Famalicão.

 

Após ter apresentado uma candidatura ao concurso nacional que veio a ganhar e cujos resultados foram anunciados na semana passada, a Associação Mundos de Vida passa a integrar a Rede Nacional de Cuidados Continuados que ficará dotada, depois da entrada em funcionamento dos novos projectos, com 8000 camas em todo o país.

“Foi realmente a primeira e única instituição que foi contemplada com este financiamento que vai permitir a construção de uma moderna e avançada Unidade de Cuidados Continuados de Saúde de média e longa duração”, explicou Manuel Araújo, presidente da Mundos de Vida. De acordo com o responsável, a nova valência terá a capacidade para acolher 50 utentes, que vai juntar-se às outras unidades aprovadas no âmbito do Programa Pares, “mais conhecidas pela população em geral, que são os chamados lares de idosos, centros de dia, serviços de apoio ao domicílio, todos eles novos e conseguidos de raíz”. A junção destas valências à nova unidade vai, segundo Manuel Araújo, “permitir ao longo dos próximos anos criar um moderno Centro Gerontológico com vários serviços especializados”.

De acordo com informação enviada à imprensa, “o projecto de construção da Unidade de Cuidados Continuados, aprovado para a Mundos de Vida, terá o custo de dois milhões de euros, para o qual a instituição receberá 750 mil euros do Estado central. Será criado numa área central, integrando o novo Centro Gerontológico da instituição, cujo custo total está orçamentado em cinco milhões de euros e que será construído numa área de 15.000 metros quadrados, junto aos equipamentos sociais existentes e relativamente próximo da estação de caminho de ferro, numa localização privilegiada, pois fica situado no centro do triângulo constituído pelas três cidades do Médio Ave e a uma distância idêntica de Braga, Guimarães e do Porto, permitindo ter uma relação excelente em termos de complementaridade de trabalho com os principais hospitais do Norte do país”.

Ainda de acordo com a mesma nota, segundo Manuel Araújo, presidente da Mundos de Vida, a entrada da instituição nos Cuidados Continuados de Saúde, vocacionados para as pessoas idosas, “foi uma excelente forma de começar 2009, ano em que celebramos 25 anos de existência”.
Revelou também que no encontro que teve com o primeiro-ministro, o chefe do Governo, preocupado com a necessidade de dinamização da actual situação de crise económica, lhe disse que “agora é preciso andar depressa!”, porque estes projectos para além de criarem serviços para pessoas em situação de maior dificuldade social, são também geradores de muito emprego.

Depois do desenvolvimento de um projecto durante mais de quatro anos, com a cooperação das melhores universidades e fundações portuguesas e espanholas, Manuel Araújo adiantou que a prioridade agora é a finalização de um forte programa de angariação de fundos, numa primeira fase, dirigido para as principais entidades concelhias e as grandes empresas da região, seguindo-se a participação abrangente de todos os cidadãos, visando a construção de um projecto ímpar, em termos de qualidade, de modernidade e de humanidade, que marcará, nos próximos anos, o desenvolvimento do concelho e da região.

No quadro das celebrações dos 25 anos da Mundos de Vida, Manuel Araújo prometeu ainda a apresentação pública do Centro Gerontológico, durante a qual serão dados mais pormenores sobre a nova Unidade de Cuidados Continuados de Saúde.

No âmbito do Programa Modelar, foram aprovadas todas as candidaturas tecnicamente válidas na primeira fase da aplicação do programa, um total de 102 respectivamente. A assinatura dos protocolos realizada na passada quinta-feira, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), presidida por José Sócrates, determinou a implementação de mais 3138 camas na rede de cuidados continuados, através do financiamento público no valor de 66 milhões de euros.

A região Norte terá 836 novos lugares, o Centro 774, Lisboa e Vale do Tejo 963, Alentejo 315 e Algarve 250. Criada em 2006 pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados visa permitir aos utentes recuperarem a autonomia para as actividades da vida diária e reduzirem o seu grau de dependência.