As festas em honra a S. Gonçalo, em Covelas,  são as primeiras do ano e a tradição diz que centenas de pessoas se deslocam até à capela do santo para cumprirem as suas promessas. Este ano, a comissão de festas organizou um programa variado graças à “excelente colaboração da população de Covelas”. O início das festas está marcado para esta sexta-feira e terminam na segunda. 

Em tempo de figos pode não haver amigos, mas há S. Gonçalo. O santo, cuja devoção é muito grande no Norte do país, também se celebra em Covelas e os dias 23, 24, 25 e 26 de Janeiro marcam o início das romarias do ano na Trofa. O tempo é a verdadeira surpresa das festas em honra ao padroeiro da freguesia, pois a chuva costuma afastar os devotos. No entanto, a capela de S. Gonçalo em Covelas enche-se todos os anos de pessoas que, para cumprir as suas promessas, se deslocam de diversas formas, no sentido de simbolizar o seu percurso, como a cavalo, a pé ou até mesmo de moto4, como aconteceu no ano passado.

Este ano, a comissão de festas presidida pelo padre Manuel conseguiu elaborar um programa de festas variado, do qual uma das grandes novidades é a Banda de Gaitas, que vem de Espanha e que actuará no domingo, dia 25, pelas 14.30 horas. Preparar uma festa não é fácil, mas tudo se simplifica com a ajuda de todos e é por isso que Rui Marques, um dos elementos da comissão, agradece “à população de Covelas que, mesmo com muito sacrifício aderiram muito bem” e até nos patrocínios “os fundos angariados foram significativos”. A crise “sente-se sempre”, mas para a contornar foi preciso muito trabalho e mais umas “voltas” que resultou numa “excelente colaboração do povo de Covelas”. A comissão de festas contou ainda com o apoio “fundamental” da Câmara Municipal da Trofa e da Junta de Freguesia de Covelas.

Quanto à adesão dos devotos à festa, a resposta fica dependente das condições atmosféricas: “é imprevisível. Se estiver bom tipo, o recinto fica repleto de pessoas, mas se chover não se vê tanta gente”, afirmou o responsável, que trabalhou em conjunto com Carlos Azevedo, Rui Flor, Luciano Rocha e José David.

Rui Marques foi peremptório ao afirmar que esta festa tem uma “forte simbologia”, não só pela caminhada feita por muitos devotos, mas também “pelos doces, os figos e a tasquinha, um dos locais onde as pessoas se divertem e tentam esquecer as amarguras da vida”. A tradição também não faz esquecer “as meninas solteiras que aproveitam para ir puxar a bengala ao S. Gonçalo”.

No programa oferecido para este ano, está agendado a actuação dos Ranchos Folclóricos da Trofa e de Folgosa, na sexta-feira, dia 23.

No dia seguinte, depois da actuação dos Zés Pereiras “Juventude em Força”, de S. Mamede do Coronado, realizam-se uma missa de Acção de Graças dos Gonçalos e uma missa vespertina. À noite, a animação estará a cargo do grupo America Show, que promete muita música para animar o recinto da festa.

Na manhã de domingo, 25 de Janeiro, celebra-se uma missa de Acção de Graças ao mártir S. Sebastião, na igreja matriz. Pelas 9 horas, dá entrada a Banda de Música de Celorico de Basto na igreja matriz, dirigindo-se depois para a capela de S. Gonçalo. Segue-se duas Eucaristias em honra a S. Gonçalo. Pelas 15 horas, há uma celebração da palavra e procissão, que culmina com a actuação da Banda de Música até ao fim da tarde.

O último dia, segunda-feira, ficará marcado pela “Eucaristia do Voto” e procissão junto da capela, pelas 9 horas, e a actuação do grupo Irmãos Leais. 

S. Gonçalo de Covelas recebe tradicional peregrinação a cavalo
 
No próximo domingo, dia 25 de Janeiro, realiza-se a tradicional romaria a Cavalo ao S. Gonçalo de Covelas, a primeira grande festa popular do ano no concelho, que retrata uma das mais originais tradições religiosas, etnográficas e culturais da Trofa.
A peregrinação conta com o apoio da Câmara Municipal da Trofa e tem saída prevista para as 10h00 da Feira/Mercado da Trofa. A romaria continua pela Rua Infante D. Henrique até à Rotunda do Catulo, seguindo pela EN 104 e pela Avenida de Paradela, dirigindo-se posteriormente até ao S. Gonçalo de Covelas.
Nos dias de romaria à freguesia de Covelas, milhares de visitantes chegam em peregrinação a pé ou a cavalo, como impõe a tradição para apreciar os Ranchos e as Bandas de Música que marcam presença na festa.
Este ano, espera-se a presença de cerca de 150 peregrinos a cavalo, que rumam até Covelas para participar na festa tipicamente minhota, onde não faltam os “comes e bebes”, o artesanato ao vivo, os morteiros e o fogo-de-artifício.