Mais qualidade dos serviços de apoio às crianças e famílias em risco, introdução de novas formas de actuar em conjunto com boas práticas europeias, são algumas das propostas de do professor Pere Amorós, que a 28 de Setembro apresenta resultados de um estudo.

  O estudo de Pere Amorós, professor catedrático da Universidade de Barcelona, tem por base uma avaliação científica que efectuou, durante 3 meses, aos novos serviços de protecção da infância da Mundos de Vida. A avaliação internacional que realizou mostra que o Estado português poderá poupar 750 mil euros.

Estes serviços concebidos e desenvolvidos pela Mundos de Vida, conjuntamente com as melhores experiências  internacionais, prometem evitar que as crianças, tenham rupturas definitivas com as suas famílias e que a sua própria família possa continuar ou vir a ser uma opção de futuro. Pretendendo então, garantir um dos direitos da criança que é o directo de poder crescer numa família, de preferência na sua.

Este trabalho, foi efectuado entre Maio e Setembro de 2007, por Pere Amorós, e uma equipa de profissionais da Universidade de Barcelona e da Universidade do Minho, com apoio de um grupo de acompanhamento de peritos que integrou técnicos superiores da Comissão Nacional de Crianças e Jovens em Perigo e da Direcção Geral da Segurança Social.

O trabalho de campo realizado em Maio envolveu a participação dos presidentes das comissões de menores de Famalicão e da Trofa, de juízes e procuradores dos tribunais de Famalicão e Santo Tirso, de técnicos da segurança social e entrevistas com famílias de acolhimento e famílias em situação de risco ou dificuldade social.

Para além de Pere Amoròs, que lidera a equipa, participaram ainda, a professora Ana Tomás de Almeida, directora do departamento de investigação do Instituto de Estudos da Criança da Universidade do Minho e o professor Paulo Delgado, único cientista português com doutoramento realizado sobre acolhimento familiar, com conhecimentos sobre a realidade de Portugal, Espanha e Reino Unido.

De recordar que A Mundos de Vida, no início de 2007, quando o seu novo serviço de acolhimento familiar, pioneiro no país, (conhecido pelo seu programa "Procuram-se Abraços") e o serviço de preservação e reunificação familiar para crianças em risco (conhecido pelo nome do programa "Construir Famílias") se aproximavam do final do período de dois anos de funcionamento, decidiu submetê-los a um exame exigente conduzido por um perito independente para ter a certeza que os serviços desenvolvidos e os resultados tinham qualidade internacional. O convite foi feito a Pere Amorós que aceitou realizar o trabalho, em conjunto com uma equipa de investigadores da Universidade de Barcelona e da Universidade do Minho.

De recordar que a Mundos de Vida, no início de 2007, desenvolveu um serviço de acolhimento familiar, pioneiro no país, "Procuram-se Abraços" e o serviço de preservação e reunificação familiar para crianças em risco "Construir Famílias". Fizeram o convite a Pere Amorós que desde logo aceitou realizar o trabalho, em conjunto com uma equipa de investigadores da Universidade de Barcelona e da Universidade do Minho.

Apesar de em Portugal estes projectos, levados a cabo pela Mundos de Vida, bem como por outras associações de cariz social, não serem valorizados e financiados, a associação de Lousado, continua a desenvolver o trabalho com o apoio de entidades independentes, que reúnem pessoas dispostas a colaborar com as crianças e as famílias em risco.

Assim, e para evitar que o número de notícias relacionadas com crianças em situação de risco continue a aumentar, a Mundos de Vida realizará esta conferência de imprensa, esta sexta-feira, que visa elucidar os interessados pelo projecto, dos avanços e descobertas realizadas por estes investigadores dos direitos e protecção das crianças.