No dia Europeu Sem Carros, assinalado a 22 de Setembro em cerca de 180 cidades por todo o mundo foi marcado por protestos na Trofa, não pela iniciativa em si mas pela forma como foi levada a cabo pela autarquia que "todos os anos encerra a mesma rua", dirigindo a campanha às crianças, "quando deveriam ser os adultos a serem alertados".

A rua encheu-se de insufláveis, bolas de futebol e basquetebol, palhaços e dos mais variados divertimentos para os mais novos. Logo pela manhã eram muitos os adultos e crianças que passavam pela Rua Conde S. Bento e por ali  ficavam, para se divertirem, numa rua que ao contrario do habitual se encontrava sem carros.

Enquanto os mais novos se divertiam, os adultos observavam, e as opiniões eram unânimes, "este dia deveria ter sido organizado, tendo em conta os divertimentos para os pais e não só para as crianças, porque afinal somos nós que conduzimos", referiu Alzira Faria, acrescentando que esta actividade "deveria ter sido promovida noutro espaço, deveria ter havido mais informação e mais cuidados quanto à segurança das crianças". Contudo "este é um bom começo, porque pelo menos, apela à prática de actividades ao ar livre, coisa que as crianças hoje em dia não estão habituadas, visto que só gostam de ver televisão e jogar computador", concluiu.

Para os logistas, a ideia de fecharem a rua ao trânsito, também não foi a ideal, visto que "as pessoas da Trofa estão muito habituadas a trazer o carro até à porta das lojas", disse Cristina Maia, proprietária da Loja Vitral. Assim, este dia sem carros, não teve o sucesso que se esperava, e "não veio ajudar em nada, no aumento de pessoas a visitarem as lojas", acrescentou. Cristina Maia referiu ainda "há uma certa obrigatoriedade em realizar esta actividade todos os anos, na Rua Conde S. Bento, o que não faz sentido", visto que "existem outros locais, onde até poderiam ter sido realizadas outro tipo de actividades, mais viradas para os adultos, porque são eles que conduzem, e que precisam de ser consciencializados relativamente ao impacto ambiental que a utilização excessiva dos carros poderá trazer", concluiu.

Este dia, onde em todas as cidades europeias se incentiva à não utilização do automóvel, a Trofa assinalou este dia com menos automóveis nesta rua, mas com mais queixas de todos os que a utilizam diariamente.