O Movimento das Mulheres Socialistas da Trofa angariou, durante o mês de dezembro, cerca de 1500 produtos de higiene, que vão ser distribuídos pelas famílias necessitadas do concelho.

Depois de uma campanha que contou com o envolvimento das Mulheres Socialistas da Trofa, a estrutura partidária entregou, esta segunda-feira, 28 de dezembro, cerca de 1500 produtos de higiene na delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa.

Foi uma maneira de marcar o mês do Movimento com “uma atividade solidária”, à qual participaram “não só os elementos, mas também muitos outros trofenses”, a quem Ângela Moreira, líder da estrutura, agradeceu.

“Temos cerca de 1500 produtos, desde escovas e pasta de dentes, a champôs, amaciadores, cremes, pensos higiénicos, géis de banho e fraldas. São produtos do nosso dia a dia que nem valorizamos, mas que são preteridos a favor de alimentação pelas famílias que passam necessidades”, explicou.

Numa época em que as doações alimentares aumentam, a entrega de produtos de higiene surge no momento certo. “São aqueles produtos que muitas vezes ficam esquecidos. As pessoas têm sempre aquele sentimento de dar de comer, e, claro, é essa a primeira necessidade, mas nesta época, uma vez que essa área estava acautelada, quando nos questionaram qual seria a maior carência neste momento, referimos que eram os produtos de higiene”, explicou Daniela Esteves, presidente da delegação da Trofa da Cruz Vermelha.

Num ano marcado pelas dificuldades acrescidas inerentes à pandemia de Covid-19, a delegação da Cruz Vermelha redobrou esforços para chegar a todos os que pediram ajuda. “Acho que conseguimos, dentro dos possíveis, proporcionar um Natal feliz às pessoas. Felizmente, temos uma caixa forte do ponto de vista alimentar e o nosso trabalho chegou a todos os que procuraram a nossa ajuda”, frisou a responsável.

Além de confortar as famílias do ponto de vista alimentar, a delegação conseguiu ainda levar alegria às crianças, distribuindo brinquedos e outros presentes, doados por várias entidades e grupos, como o BPI, já parceiro habitual da Cruz Vermelha nesta época festiva.

Mas as necessidades não são sentidas apenas nesta altura. Daniela Esteves revelou que, em 2020, os pedidos de ajuda “aumentaram muito”. “Desde março que tem havido um crescimento assinalável do número de apoios. Há um novo perfil de pessoas fragilizadas e às quais temos de ter atenção, porque têm vergonha de pedir ajuda. Por isso, deixo o apelo a quem saiba ou que precise, que procure a Cruz Vermelha”, frisou.

Segundo Daniela Esteves, esse novo perfil de pessoas a precisar de ajuda refere-se àqueles que, tendo um nível de vida estável, viram os seus rendimentos caírem, significativamente, devido aos efeitos da pandemia no emprego e economia.