O monte de S. Gens foi palco das festividades em honra de Nossa Senhora da Alegria e de S. Gens, que se realizaram este fim-de-semana. Muitos foram os peregrinos que se deslocaram para assistir às missas em Honra da santa e ao Festival de Folclore. Do programa faz ainda parte o dia 22 de Setembro, Dia das Gentes do Mar, onde são esperados centenas de romeiros.

A decorrer “num dos melhores locais do concelho da Trofa”, as festas em honra de Nossa Senhora da Alegria e de S. Gens de Cidai, voltaram ao ponto mais alto da freguesia de Santiago de Bougado, na Trofa, o monte de S. Gens. À semelhança do ano passado, as festas contaram com a presença de muitos devotos, que quiseram assistir às missas e cumprir as suas promessas, bem como para marcar presença no Festival de Folclore – Bougado 2008.

O primeiro fim-de-semana de Setembro é dedicado aos dois santos que atraem milhares de peregrinos ao monte.

No primeiro dia de comemorações, dedicado a Nossa Senhora da Alegria, 6 de Setembro, o ponto mais alto começa à hora da missa, com a oração das mães e a consagração das crianças, principalmente os menores de 3 anos, com alocução própria.

O dia dedicado a S.Gens é o domingo, 7 de Setembro. As celebrações começaram com uma missa, pelas 9 horas, à qual se seguiu a tradicional peregrinação do Facho até ao santuário, com a participação da paróquia e dos devotos que gostam de cumprir as suas promessas. A manhã terminou com uma missa solene em louvor a S. Gens.

À tarde, muitos são os que acorrem ao monte para o Festival de Folclore – Bougado 2008, organizado pelo Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado.

Ao palco subiram Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado, o Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila (Coimbra), o Grupo Folclórico Casa do Povo de Santa Cruz do Bispo (Matosinhos),  o Grupo Folclórico de Terras da Feira (Santa Maria da Feira) e o Grupo Folclórico Recreativo de Tabuadelo (Guimarães).

Ao NT, um dos membros da Comissão de S.Gens, Manuel Ramalho confessou que as festas ficavam a “custo zero” e assim conseguem reunir mais fundos para as obras a fazer no monte. Para trás ficaram as festas em que os custos eram muito avultados e que exigiam muito das comissões. Desde 1951 o monte de S. Gens habituou-se a receber a grande procissão de S. Gens, com grandes Bandas de Música espanholas, ou da Guarda Nacional Republicana, agora “os tempos são outros”.

“Como as festas aqui na Trofa são muito juntas, exigem muito, e hoje ninguém dá dinheiro, é mais difícil. Por isso, aproveitamos as esmolas que as pessoas deixam, para fazer as obras aqui no monte, e temos sempre muita gente devota que deixa bastantes ajudas, principalmente as gentes do mar: das Caxinas, Aguçadoura, Póvoa de Varzim e Vila do Conde. E os ranchos, que fazem parte da nossa cultura, compõem um bonito programa, em conjunto com as celebrações”, afirmou Manuel Ramalho.

O balanço deste ano é “positivo” e mais uma vez a comissão contou com centenas de pessoas que assistiram no monte ao Festival de Folclore e também às comemorações religiosas.

“Eu quero que isto cresça e convido as pessoas a vir cá visitar o monte de S. Gens, porque isto é lindo, temos um miradouro muito bonito para se ver a paisagem, temos ar puro e óptimos lugares para fazer piqueniques e para conviver. É um dos lugares mais bonitos do concelho da Trofa”, afirmou Ramalho, acrescentando que “o monte está diferente”. Durante o ano foram feitas obras no escadório, na capela, foi colocada a iluminação.

Ainda Integrada nas festas em honra a Nossa Senhora da Alegria, no dia 17, o monte de S. Gens, em Cidai, recebe as Gentes do Mar, com uma missa pelas 9 horas e 10.15 horas.

Isabel Moreira Pereira