Modesto-Torres

Candidato pelo PSD a S. Mamede do Coronado quer “crescimento sustentado” 

O Notícias da Trofa (NT) – O que o leva a candidatar-se à Assembleia de Freguesia?

Modesto Torres (MT) – Porque tenho um projecto em curso e que não pode parar, que visa o crescimento sustentado e sustentável da minha terra; Porque continuo a contar com a colaboração de uma excelente equipa com provas dadas ao longo dos mandatos anteriores e SEMPRE disponível para continuar a servir SÃO MAMEDE; Porque continuo a ter predisposição e toda a disponibilidade para contribuir para o engrandecimento de São Mamede, para que possam ser concluídas as obras de fundo, que duma forma ou doutra por mim foram iniciadas; Porque continuo a ter um plano estratégico de desenvolvimento para a freguesia que espero ver corporizado nos próximos 4 anos, que será com toda a certeza o meu ultimo mandato.

NT – Quais são os projectos que vai apresentar para o mandato?

MT – Em primeiro lugar haverá necessidade de concluir os projectos em curso, com destaque para o alargamento do cemitério e construção da casa mortuária. Depois virão os projectos conjuntos com a candidatura à Câmara Municipal, com destaque para as redes de saneamento básico e de abastecimento de água; Requalificação da rede viária, concretamente, rua Vale do Coronado e rua de São Mamede; Requalificação do Parque Desportivo da freguesia, dotando-o de piso sintético e construção de uma piscina de aprendizagem; Dotar a freguesia de três parques infantis, localizados, um a norte, um a centro e um a sul da freguesia. E por fim, novos projectos enquadrados no desenvolvimento sustentado e sustentável da freguesia, de onde se podem destacar, novos arranjos urbanísticos de espaços públicos na área da freguesia.

NT – Qual é o projecto/área prioritário(a) caso seja eleito?

MT – Sem dúvida a conclusão do alargamento do cemitério para reposição definitiva da ordem e da sua organização administrativa, assim como, a construção da tão desejada e necessária casa mortuária.

NT- Por que é que os eleitores devem votar em si?

MT – Os Mamedenses têm depositado em mim, ao logo de 12 anos, a confiança para gerir os seus interesses, os seus problemas e os da autarquia. Na verdade, se não fiz mais, ou melhor, não foi por falta de ânimo, de luta, de entusiasmo e de amor a São Mamede do Coronado, mas porque nem tudo que quero é possível para hoje, a Câmara tem vários filhos e os meios financeiros são limitados. Do que me orgulho é de ouvir o Sr. Presidente da Câmara dizer que eu quero tudo para São Mamede. E não é nada para mim, tudo para os Mamedenses. Mesmo assim, confio que, se for o escolhido, como espero, em 11de Outubro próximo, para Presidente, vou com toda a certeza, continuar a defender, como até aqui, a freguesia São Mamede do Coronado.

NT – Considera mais fácil governar sendo a Câmara e a Junta do mesmo partido político? Porquê?

MT- Tem vantagens e inconvenientes, como em tudo na vida, mas depende sobretudo do tipo de Presidente da Câmara. O actual não é fundamentalista partidário, não conheço que haja discriminação por esse motivo. Acredito é que há Presidentes de Junta mais pró-activos e menos pró-activos e outros até nem fazem nada para poderem vitimizar-se. Quem usar o partido, seja ele qual for, para tirar vantagens, a experiência diz-me que não é o melhor caminho. O Presidente da Câmara trabalha, por igual, com todos os Presidentes de Junta e não com partidos políticos. Mas acredito, que de certa forma a sintonia entre os dois órgãos autárquicos certamente que ajudará na prossecução dos objectivos e projectos comuns da Freguesia e Câmara Municipal.