A equipa da Missão Dulombi está a preparar mais uma recolha de bens, que decorre no dia 19 de outubro, na agência de seguros Sisenando Costa, junto ao restaurante Regalo, em S. Martinho de Bougado.

“Por mais ajuda que se tenha levado, as lacunas são muitas, pelo que pretendemos capitalizar esforços no sentido de continuar o trabalho já executado”. Este é o espírito que paira entre a equipa da Missão Dulombi, que, em parceria com a agência de seguros Sisenando Costa, está a organizar mais uma recolha de bens, para o dia 19 de outubro, na agência de seguros junto ao restaurante Regalo, em S. Martinho de Bougado.

A equipa apela à comunidade a “dar um pouco de si”, ajudando-os a combater “as necessidades do momento”, através de uma lista de bens necessários para levar até à Guiné-Bissau. “Vestuário não é uma das prioridades, assim como brinquedos”, declarou.

De bens alimentares, a Missão apela à doação de “leite em pó, cereais, papas, arroz, massa, couscous, puré em flocos, azeite, óleo, atum, salsichas, feijão, grão-de-bico, milho, ervilhas e bolachas secas”. Material escolar é um bem necessário, como “mochilas, porta-lápis, réguas, afias, borrachas, canetas, lápis, lápis de cor, cadernos de linhas, cadernos quadriculados, giz, apagadores, tabuadas, dicionários de língua portuguesa e calculadoras básicas”.

Na vertente de desporto e lazer, são necessários “bolas de futebol, raquetas de praia e bola, raquetas de ténis e bola, cordas de saltar, equipamentos de futebol, jogos didáticos e bicicletas”. Já na área da saúde, as necessidades prementes passam pelo “betadine, gel desinfetante, soro fisiológico algodão, termómetros, tesouras, ligaduras, pensos, biberões, muletas (canadianas), leite em pó, fraldas, rolo de papel de cozinha, suportes de soro, calçado para os médicos (crocs), luvas de latex e toucas para os médicos, fraldas e marquesas”.

São ainda precisos diversos materiais e ferramentas e utensílios agrícolas, como “pás, serras, enxadas, ancinhos, forquilhas, baldes, regadores, picaretas, chaves de fendas, alicates, tesoura de poda, carrinhos de mão, foices, catanas, mangueiras, sementes, esfregonas com balde, vassouras, lixívia, detergentes de limpeza, tinta branca, rede mosquiteira metálica, rede de vedação, arame, pregos e corda”.

“Se estiverem interessados em ajudar, por favor entrem em contacto connosco, precisamos de toda a ajuda possível. E se quiserem, venham connosco dar um pouco de alegria às crianças destas aldeias e viver momentos certamente inesquecíveis”, concluiu.