quant
Fique ligado

jonati

Edição 704

Memórias e Histórias da Trofa: Exercícios militares na Trofa

Publicado

em

Estamos em 2019 e iremos recuar 126 anos para ficarmos no ano de 1893. Concretamente em setembro, que era somente mais um mês, imperava a tranquilidade na Trofa e arredores. Apenas seria quebrada a sua monotonia com a realização de exercícios militares a 22 e 23, sexta-feira e sábado, concretamente.

Não sabendo se seria uma novidade, as notícias da imprensa local sobre o território trofense são raras, mas tudo apontava para que fosse a primeira vez que tal acontecimento iria marcar a agenda da localidade.

O aquartelamento militar iria ser posicionado junto da antiga estação, tendo grande cobertura jornalística a nível nacional, contando ter efetivos de forças de infantaria e artilharia no terreno, dando mais espetacularidade ao momento.

Na imprensa escrevia-se que era pensado haver comboios especiais para, certamente, ser possível movimentar as várias pessoas que queriam assistir àquele evento.

A bateria de artilharia foi colocada no pinhal de Carqueijoso para ter visão privilegiada sobre a margem direita do Rio Ave, como também da desaparecida Ponte Pênsil. Aproveitando ser um patamar superior, serviria para conseguir mais facilmente atingir os alvos e as zonas desejadas, um processo fundamental para esta companhia

O batalhão de Infantaria provinha do Regimento de Infantaria n.º 18, um regimento entretanto desaparecido, mas que servem as suas instalações no presente e ficando popularmente conhecido como “Quartel General”, na cidade do Porto.

Durante cinco horas foram disparados tiros de artilharia, em uníssono, para dar ainda mais ênfase àquele exercício, enquanto os elementos de infantaria iam evoluindo no terreno, movimentando-se do seu acampamento que era próximo das baterias de artilharia até ao terreiro de Nossa Senhora das Dores, escrevendo a imprensa que até a própria capela foi ocupada para dar alojamento a duas companhias daquele regimento de infantaria. Seria um espetáculo digno de se ver, no máximo 500 homens acampados num enorme terreiro, algo que hoje é impensável.

Publicidade

A ocupação do espaço religioso foi um tema sensível com várias vozes a manifestarem-se contra o facto de terem estado acampados junto da capela, com vários elementos a usarem aquele templo religioso, temendo-se a violação do espaço sagrado.

Os militares foram amplamente aplaudidos pela comunidade e o exercício terminava com grande sucesso. Escrevia-se que estava comprovada a grande operacionalidade do exército português.

Um evento marcante, atendendo ao elevado movimento de militares que seria, aproximadamente, de um milhar, não ignorando toda a logística que obriga a movimentação de artilharia, com várias dezenas de parelhas de cavalos para puxar as peças, como toda a imponência do material bélico.

Um marco na história e memória da Trofa…

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 704

Trofa candidata-se ao galardão de Melhor Município para Viver 2019

Publicado

em

Por

O Instituto de Investigação Tecnologia Comportamental (INTEC) lançou um concurso com vista a reconhecer os melhores projetos desenvolvidos por municípios nas áreas do Ambiente, da Economia e na área social.

Chama-se Concurso “Os Melhores Municípios para Viver – Projetos para serem Vividos” (M2V) e de acordo com a página oficial do INTEC “pretende ser um instrumento para a valorização da qualidade e divulgação de novos projetos”, possibilitando a “partilha de novas ideias” entre os diferentes territórios.

O Município da Trofa apresentou uma candidatura a este galardão e, segundo informação avançada pela autarquia, “foi distinguido com o Prémio de Mérito e Excelência, graças ao projeto da Alameda da Estação, reconhecida pela sua qualidade e relevância e pela sua contribuição para a criação de uma nova centralidade, no coração da nossa cidade, assente na mobilidade e na sustentabilidade”.

Para participar neste concurso, os Municípios tiveram de pagar “1.400,00 (mil e quatrocentos euros) mais IVA, por cada projeto submetido, sendo que se for submetido mais do que um projeto, o custo de cada um passa a ser de 1.200,00 (mil e duzentos euros) mais IVA”.

Também de acordo com INTEC, “a discussão sobre a qualidade de vida tem vindo a ganhar uma preponderância cada vez maior”. “Esta crescente preocupação numa cidadania mais participativa e esclarecida é, não só fruto de melhores níveis de instrução e escolaridade, mas também um produto da evolução vivida pós-25 de Abril e entrada na União Europeia. É da necessidade de Premiar e Reconhecer o que de melhor se tem feito em Portugal, para melhorar a qualidade de vida dos seus munícipes, que surge o Concurso ‘Os Melhores Municípios para Viver – Projetos para serem Vividos’”, pode ler-se no site oficial da instituição.

Trofa é Município “Amigo das Famílias”

O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis distinguiu a Trofa como “Municipio Amigo das Famílias”, à semelhanças de Vila Nova de Famalicão e de Santo Tirso.

Este concurso, que vai já na sua 11ª edição, tem como objetivo “acompanhar, galardoar e divulgar as melhores práticas das autarquias portuguesas em matéria de Responsabilidade Familiar para as famílias em geral”.
A cerimónia de entrega de galardoes está marcada para o dia 27 de novembro, com a atribuição das bandeiras verdes aos municípios distinguidos.

Publicidade
Continuar a ler...

Edição 704

12 prémios para a Passos de Dança no Algarve Dance Open

Publicado

em

Por

A Escola Passos de Dança tem o prazer de informar os resultados obtidos pela escola na sua recente participação no Concurso Internacional Algarve Dance Open.

Nos dias 1, 2 e 3 de Novembro a Escola participou com 20 alunos na terceira edição deste concurso em Lagoa, no Algarve. Os resultados obtidos pela Escola “deixam-nos muito orgulhosos e com um sentido de dever cumprido e de representação da cidade da Trofa ao mais alto nível” adiantou a Escola Passos de dança em nota enviada aos jornalistas.

Na categoria de Solos de Ballet Clássico Nível 1 – o segundo lugar foi arrecadado por Manuel Pereira e o terceiro por Tomás Vilas Boas, no Nível 4 – Solos contemporâneo o segundo classificado foi João Vila Real. Também no Nível 4 – Solo Jazz no primeiro lugar foi conquistado por João Vila Real enquanto que no Nível 3 – Solo Jazz o segundo lugar é de Estela Romero (Escuela de Danza Mª Pilar Izquierdo) Intercambio de escolas Nível 3 – Grupo Jazz o segundo lugar é de We Will Rock You, em Nível 1 – Dueto Ballet o segundo lugar atribuído ao Trio das Odaliscas e no Nível 3 – Dueto Ballet o segundo lugar foi para Dueto D. Quixote.

Já no Nível 2 – Group Tap o segundo lugar foi conquistado por Another One Bites to Dust, o Nível 3 – Grupo Contemporâneo arrecadou terceiro lugar para Bugs, o Nível 3 – Dueto Jazz foi atribuído segundo lugar a Jail House Rock e finalmente no Nível 1 – Grupo Jazz arrecadou terceiro lugar a It’s a Kind of Magic

Paralelamente a Escola Passos de Dança recebeu como prémios especiais por Manuel Pereira – Participação Festival Joinville no Brasil e João Vila Real arrecadou uma Bolsa de Curso de Verão, com duração de semanas na Joffrey Ballet School nos EUA”.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);