Um sapato cujo salto pode ser ajustado para duas alturas diferentes é agora uma realidade possível, que pode ser o sucesso entre o público feminino. “Uma mulher pode estar com 10 centímetros e passar para 4 centímetros no exacto minuto seguinte”, explicou Marta Alves, aluna do 12º ano da Escola Secundária da Trofa.

Esta foi apenas uma das várias ideias inovadoras levadas à final do Concurso de Escolas Empreendedoras na passada sexta-feira, numa iniciativa promovida pela agência DNA Trofa. O objectivo foi incentivar a criatividade e projectos originais entre os jovens das escolas do concelho.

“Como é uma ideia nova e totalmente inovadora achamos que é muito útil, sem dúvida pretendemos seguir com ela para a frente, podemos dar muito à mulher com ela e acho que temos todas as possibilidades de conseguir muito com a ideia”, considerou Marta Alves.

“Para se ter grandes ideias não é preciso muito, é só mesmo preciso catalizar a imaginação e a criatividade”. Esta é a conclusão tirada pela aluna da participação no Concurso de Escolas Empreendedoras, que também é partilhada pelos outros jovens que se dedicaram a “pôr a mente em funcionamento”.

E porque imaginação não ocupa só as mentes dos jovens, também os cursos dirigidos a adultos foram abrangidos no concurso. É o caso de um grupo do curso EFA da Escola EB 2,3 de Alvarelhos, que decidiu por iniciativa própria participar nas aulas de empreendedorismo. “Cuidados e Companhia” é o nome do projecto do grupo, que pretende prestar apoio aos idosos do concelho.

“O nosso projecto é pensado para 24 horas e consiste em prestar todos os serviços aos idosos, desde cuidados de higiene, alimentação, companhia e serviço ao domicílio”, explicou Carlos Azevedo, um dos autores da ideia.

Mas foi o projecto de implementação de postos de bicicleta na Trofa o grande vencedor do concurso, cujos autores venceram uma viagem a Londres. “Esses postos vão ter bicicletas em que se pode alugar e em pequenas distâncias fazê-la de bicicleta em vez de com carro.

ideias-dna-171

É mais barato que a gasolina, faz-se mais actividade física e vai ser melhor para a saúde e poluindo menos vais ser melhor para o ambiente”, adiantou Juliana Sá, do curso de Técnico de Gestão, do 11º ano da Escola Secundária da Trofa. “Outra parte do projecto é termos um espaço de lazer no Parque Senhora das Dores com ‘motinhas’ a bateria para as crianças e dinamizar o parque infantil e o bar”, acrescentou.

 

“É na juventude que estão as ideias mais modernas”

A criatividade demonstrada pelos participantes superou as expectativas, sobretudo dos elementos do júri que apreciaram as ideias inovadoras apresentadas. “Houve um conjunto de ideias que eu até direi ideias exequíveis, portanto acho que este espírito do DNA tem de ir despertando na juventude o empreendedorismo, é útil porque é realmente nesta juventude que estão as ideias mais modernas”, afirmou ao NT/TrofaTv Manuel Pontes, presidente da Associação Empresarial do Baixo Ave e um dos elementos que ajuizou o concurso.

Salientando que o concurso teve “grande acolhimento por parte das escolas”, Mariana Fontes, directora-geral da DNA Trofa, revelou que foi muito difícil escolher os cinco finalistas do concurso e por fim o grande vencedor. “Estavam todos muito bem, eram equipas muito fortes, mas só se pode escolher um”, referiu.

Promovido pela recente criada agência DNA Trofa, o Concurso de Escolas Empreendedoras envolveu a Escola Secundária da Trofa, as escolas do 3.º Ciclo do Ensino Básico Napoleão Sousa Marques e Alvarelhos e o Colégio da Trofa.