Muito se falou das sondagens relativamente às eleições europeias. Para uns as sondagens erraram totalmente. Para outros as sondagens fazem parte de um processo de manipulação dos eleitores. Na minha opinião, as sondagens deram algumas indicações significativas.

Uma sondagem ou estudo de opinião é uma técnica em que através de uma amostra representativa da população se procura descobrir as opções da totalidade dessa mesma população. Uma sondagem fornece informações de um determinado momento. É uma espécie de fotografia do sentir social.

Uma sondagem não prevê o futuro. Aqui reside o primeiro grande problema das sondagens. Porque a opinião pública não é estática. A opinião pública muda diariamente conforme os acontecimentos e os fenómenos comunicacionais que a influenciam. Logo a sondagem vale para aquele momento, para aquele dia em que foi realizada.

Uma sondagem tem uma margem de erro, que é prevista e anunciada na ficha técnica. O mais normal é ninguém ter em conta essa margem de erro e todos ficarem fixados nas percentagens anunciadas.

Nas sondagens sobre a previsão dos resultados eleitorais é muito difícil prever a abstenção. O cidadão que aceita responder a um inquérito, revela um certo grau de civismo incompatível com quem tenciona abster-se. Se a abstenção diminui ou aumenta face á média habitual e esperada, logo os resultados das sondagens podem estar em causa.

Mas vejamos o que se passou nas Europeias. As quatro principais empresas de sondagens davam antes das eleições os resultados expressos no quadro seguinte:

 

Os resultados eleitorais estiveram assim tão longe daquilo que as sondagens apontavam?

Verifique-se os resultados dos principais partidos no quadro a seguir:

Resultados Eleições Europeias

PSD

31.69%

PS

26,57%

BE

10,73%

CDU

10,66%

CDS

8.73%

 

Comparando os dois mapas verificamos que o CDS tem um resultado superior entre 6 a 3 pontos àquilo que as sondagens previam. O PS tem um resultado eleitoral entre 10 e 3 pontos percentuais inferior àquilo que as sondagens levavam a prever. O Bloco de Esquerda e a CDU tiveram um resultado muito próximo daquilo que as sondagens indicavam. O PSD teve o resultado previsto nas sondagens.

Só uma empresa dava na sua última sondagem o PSD a ganhar. Pode concluir-se que as sondagens acertaram nos resultados do PSD, do BE e da CDU e erraram relativamente ao CDS e PS. O erro maior tem a ver com o PS que foi o grande derrotado das eleições.

Não é difícil explicar as razões da derrota do PS não prevista nas sondagens. Mas neste texto o objectivo era mostrar como na realidade se portaram as sondagens para que cada leitor possa tirar as suas conclusões.

Tiago Vasconcelos