A Comissão de Coordenação Regional do Norte promoveu o workshop “Melhor(ar) a norte” para sensibilizar os cidadãos da importância de minorar a poluição atmosférica.

Sabia que pequenos gestos como manter o frigorífico a 5º graus celsius, tapar as panelas enquanto cozinha ou utilizar iluminação de baixo consumo contribuem para a melhoria da qualidade do ar? Estes conselhos e outras dicas foram deixados no workshop promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), com a colaboração da Câmara Municipal da Trofa, no auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado, no dia 18 de Outubro. “Melhor(ar) a norte” foi o nome dado à iniciativa onde foram abordados os factores e consequências da poluição atmosférica e a lei que vigora para a indústria, sector predominante no concelho trofense. Por isso, para Assis Serra Neves, vereador do pelouro do Ambiente da autarquia, esta intervenção “faz todo o sentido”. No entanto, o autarca não deixou de frisar que “a qualidade do ar na Trofa está a melhorar porque muitas empresas têm vindo a encerrar, este é o aspecto negativo, no entanto, para o ambiente é muito bom”.

O especialista Fernando Coelho explorou todos os aspectos ligados à poluição atmosférica, desde os gases que a provocam, como o dióxido de enxofre e o ozono troposférico, até às consequências que podem provocar nos considerados grupos de risco, como crianças, idosos e doentes. Fernando Coelho mostrou ainda um gráfico sobre o Índice da Qualidade do Ar, no qual se verificavam os vários níveis de poluição atmosférica e os cuidados a ter em casos negativos.

Já a técnica da CCDR-N, Patrícia Barreto, abordou os imperativos legais a que cada cidadão e empresa estão obrigados a cumprir em prol do ambiente, como o Decreto-Lei 78/2004, de 3 de Abril, que refere que “a definição de valores limite de concentração de poluentes na atmosfera, ao nível do

solo, que se reconheçam adequados à protecção da saúde humana e do ambiente, é um dos principais instrumentos da política da qualidade do ar”.