A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) accionou hoje às 18:00, em todos os distritos, o alerta laranja (o segundo mais grave de uma escala de 4) devido à chuva e vento forte, neve e agitação marítima.

    Numa conferência de imprensa realizada após uma reunião de Centro de Coordenação Nacional Operacional, que reúne todos os agentes da protecção civil, o comandante nacional de operações de socorro, Gil Martins, disse que o alerta laranja vai estar accionado até 24:00 de quarta-feira.

    Devido ao mau tempo para os próximos dias, foi convocado o Centro de Coordenação Nacional Operacional para fazer uma análise e uma avaliação das medidas a adoptar.

    O Instituto de Meteorologia (IM) prevê para terça e quarta-feira uma descida acentuada da temperatura, chuva e agitação marítima forte, rajadas de vento que poderão chegar aos 100 quilómetro/hora e queda de neve principalmente no Norte e Centro, mas também em zonas onde é “habitualmente menos frequente nevar”, nomeadamente nas serras do Sul do país.

    Segundo Nuno Moreira, do IM, a chuva vai continuar, pelo menos, até domingo.

    Face às más condições meteorológicas, os meios de socorro e o estado de prontidão foram reforçados, principalmente nas regiões de Norte, disse Gil Martins.

    frioO comandante nacional de operações de socorro sublinhou que um total de 100 elementos de Grupos de Reforço (GRR) de Lisboa e Setúbal foram deslocados para Santa Comba Dão e Paredes, além de terem sido mobilizados efectivos do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR nos distritos.

    De acordo com Gil Martins, as Forças Armadas aumentaram o estado de prontidão e foram mobilizadas equipas da força especial de bombeiros para Santa Comba Dão e Vila Real para intervenção helitransportada com valência de pré-hospital e dois helicópteros da Empresa de Meios Aéreos (EMA).

    A Protecção Civil constitui ainda uma reserva adicional de alimentação assente em rações de combate para apoio aos meios de reforço mobilizados e à população e mobilizou um grupo de montanha na região da Guarda.

    Apesar de o encerramento da estradas ser da competência das forças policiais e das concessionárias, Gil Martins garantiu que há uma articulação entre todos os agentes para o fecho das vias.

    A ANPC recomendou ainda à população as medidas preventivas que devem ser tomadas, nomeadamente adequada fixação de estruturas soltas, desobstrução dos sistemas de escoamento de águas, não utilização de braseiras em locais fechados e cuidados com utilização de lareiras e aquecimentos.

    Gil Martins alertou também para os cuidados redobrados relacionados com a condução de veículos em zonas afectadas pela neve e gelo e aconselhou os automobilistas a evitarem fazer viagens para as zonas onde se prevê queda de neve, nomeadamente ao longo do dia de terça-feira.