Nos supermercados, hipermercados, livrarias e papelarias o material escolar conquistou as montras e as prateleiras. Há artigos de todas as cores e feitios, mais simples ou complexos, mais baratos ou mais caros. No entanto, são aqueles com aplicações e outros "efeitos especiais" que mais atraem os jovens.

regresso-as-aulas2.jpgAs férias estão quase a acabar e a cada dia que passa está mais próxima o regresso à escola. Rever amigos e conhecer os novos professores são rituais já vulgares para os jovens, assim como a azáfama para escolher o material escolar.

Enquanto os alunos encaram esta fase  de renovação do material escolar com grande entusiasmo, os pais fazem contas e contas para dar o melhor aos filhos sem exceder o orçamento disponível.

Nos supermercados, hipermercados, livrarias e papelarias o material escolar conquistou as montras e as prateleiras. Há artigos de todas as cores e feitios, mais simples ou complexos, mais baratos ou mais caros. No entanto, são aqueles com aplicações e outros "efeitos especiais" que mais atraem os jovens. As marcas ganham cada vez mais importância na hora de escolher e no final as diferenças entre um normalíssimo caderno preto e outro com um desenho de um super-herói ou boneca de desenhos animados notam-se… mas só no preço.

Muitos pais queixam-se que gastam tanto em material escolar como em livros escolares, já que quando os alunos iniciam as aulas são obrigados a comprar outros artigos específicos a cada disciplina, como uma "determinada" flauta para Educação Musical, ou um par de sapatilhas com certas características para Educação Física.

Depois, há professores que não aceitam determinado material. Por exemplo, invés de preferirem cadernos com argolas, apenas aceitam cadernos normais, o que se pode tornar num inconveniente para aqueles que já compraram e apetrecharam-se exactamente com material que os professores não querem. Alguns profissionais aconselham a que as compras apenas sejam feitas depois de os alunos souberem os métodos de ensino de cada docente.

Dicas

  • Depois de adquirido os manuais escolares, é aconselhável escrever o neles o nome do aluno, bem como o seu número e turma, para facilitar possível devolução, caso fique esquecido na escola ou seja levado por engano. Também devem ser encapados para torná-los mais resistentes.
  • Assim como os manuais, os cadernos devem ter a identificação do aluno e da disciplina a que pertence num lugar bem visível para facilitar a preparação do material escolar.
  • O entusiasmo que muitos estudantes colocam na aquisição do material escolar nem sempre se prolonga na sua utilização. Por isso, ajude o seu educando, desde o início do ano lectivo, a criar hábitos de estudo, verificando se ele faz revisões da matéria dada em cada dia e os trabalhos de casa.

Curiosidades:

Os livros para o primeiro ciclo do ensino básico rondam os 40 euros mas, à medida que a escolaridade vai subindo o preço também aumento.

Para o quinto e sextos anos o preço dos livros ronda os 120 euros mas para os pais que tem alunos a frequentar o terceiro ciclo os preços chegam aos 200 euros. Já o material escolar pode ir dos 40 euros em diante, dependente do tipo de artigos escolhidos.