Abriu portas, esta quarta-feira, a Creche e Jardim de Infância da Santa Casa da  Misericórdia da Trofa em S. Romão do Coronado. Um equipamento construído em tempo record, com capacidade para 108 crianças e que vai suprir uma lacuna existente nas freguesias de S. Romao e S. Mamede do Coronado em termos de creche.

Os risos e brincadeiras das crianças já chegaram à Creche e Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia da Trofa, em S. Romão do Coronado. No berçário para a creche, nas salas de jardim de infância, na cozinha, no refeitório e nas diversas valências de apoio às crianças o jogo de cores é animado por dezenas de brinquedos e peluches.

A Creche e Jardim de Infância abriu esta quarta-feira e para já conta apenas com cerca de 50 novos inquilinos de palmo e meio, no entanto o edifício tem capacidade para mais de uma centena de crianças não só de S. Romão do Coronado, mas de todo o concelho.

“A Creche e Jardim de Infância não está limitada ao lugar onde está instalada, irá receber, fundamentalmente, as crianças de S. Romão do Coronado, mas os pais que quiserem trazer para cá os seus filhos podem, desde que haja vagas. Neste momento temos mais de 50 crianças inscritas, o que quer dizer que ainda temos vaga nalgumas salas, principalmente no jardim de infância”, afirmou Amadeu Castro Pinheiro, Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Trofa.

Em entrevista exclusiva ao NT e Trofa TV, o provedor adiantou que a obra foi realizada em oito meses, “porque ou nós tínhamos a obra pronta para começar no início do ano lectivo, ou então só daqui a um ano poderíamos abrir e portanto fizemos tudo por tudo para que estivesse pronta no início deste ano lectivo”.

Aproveitando a doação do terreno à Santa Casa da Misericórdia da Trofa, decidiram construir a valência que fazia falta na freguesia de S. Romão do Coronado. Do projecto apresentado ao programa PARES – Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, obtiveram apenas apoio para construção da creche. “O projecto foi aprovado sem problemas nenhuns, mas o programa PARES só apoiou a creche, porque o Jardim de Infância esteve a cargo da Misericórdia da Trofa”, acrescentou Castro Pinheiro.

Para além de albergar crianças este equipamento criou vários postos de trabalho para o concelho, porque “quando estiver a trabalhar a 100 por cento, terá cerca de 28 funcionários”.

A trabalhar em várias frentes a Santa Casa da Misericórdia da Trofa, tenta, segundo o provedor, “ajudar todos aqueles que necessitam de apoio”.

“Temos o lar para 107 utentes, que está praticamente cheio, temos o apoio domiciliário nas oito freguesias do concelho da Trofa e estamos a apoiar bastantes utentes dentro das várias áreas. Depois temos também no RSI (Rendimento Social de Inserção), portanto nós não nos limitamos ao lar, ou só à creche, mas vamos a estender-nos pouco a pouco a outras áreas. Basta dizer que neste momento nós estamos já com 128 funcionários, portanto uma instituição que já tem a seu cargo 128 funcionários já demonstra uma grande capacidade de apoio ao concelho”, frisou.

Para desmistificar a ideia de que a Santa Casa da Misericórdia da Trofa recebe apoios da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Amadeu Castro Pinheiro explicou que “a Misericórdia da Trofa não recebe apoios do Totoloto ou de outros jogos, porque a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa não tem nada a ver com a Santa Casa da Misericórdia da Trofa, ou com outras, todas elas são autónomas. Portanto temos de gerir os meios que temos e temos de gerar receitas para poder responder àquilo que no dia-a-dia nos vai surgindo”.

O esforço é diário e os pedidos de apoio são feitos “àqueles que podem dar alguma ajuda e vamos tentando gerar receitas com outros meios que vamos quase inventando”, concluiu.