A vencedora do Prémio Branquinho da Fonseca apresentou a sua recente obra, no Colégio A Torre dos Pequeninos.

“O Gatuno já não sabe o que há de fazer. A sua pacata vida de gato ficou de repente ameaçada pela chegada de um ser muito estranho, todo verde, com rodinhas e uma tromba enorme através da qual respira, cheira e come! Mas a ele não o enganam, não. Aquilo é de certeza um extraterrestre, um alien igualzinho aos que aparecem na televisão. Esta criatura do outro mundo quer de certeza apoderar-se do seu território, especialmente a marquise lá de casa, e ganhar o afeto dos donos, tudo para que ele, pobre gato, passe para segundo plano. Mas o Gatuno não vai em cantigas e fará o que puder para enfrentar o inimigo e para que tudo volte a ser como dantes”.

Esta é a sinopse do livro “O Gatuno e o Extraterrestre Trombudo”, da autoria de Maria João Lopes, que venceu a sexta edição do prestigiado Prémio Branquinho da Fonseca, em 2011, na categoria de literatura para a infância, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian e pelo semanário Expresso, com o intuito de “incentivar jovens escritores”. 

Depois do seu lançamento público, que decorreu no dia 28 de junho na Fundação Calouste Gulbenkian, a jornalista apresentou a obra, pela primeira vez no Norte do país, no colégio A Torre dos Pequeninos. A visita da jornalista, que se realizou no dia 5 de julho, está inserida no programa de atividades extra-curriculares, que o colégio esta a organizar durante o mês de julho.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF

{fcomment}