O souto de Bairros, em Santiago de Bougado,o foi o local de concentração das duas marchas participantes no 1.º Concurso de Marchas Populares de S. Pedro da Maganha. Depois de ultimarem os últimos pormenores, as duas marchas desfilaram até à Rua da Maganha, onde, à vez, apresentaram as coreografias preparadas perante o júri.

 

A música, a coreografia, o traje, os arcos e o carro foram os critérios avaliados pelo júri, que distinguiu como vencedora a Marcha do Cerro de Guidões, com uma diferença de apenas dois pontos da Marcha da Associação Recreativa S. Pedro da Maganha. Apesar de serem “só duas marchas a participar”, o que para Salete Ferreira, responsável da Marcha do Cerro, foi “uma pena”, estavam “muito satisfeitos” por terem vencido o concurso, uma vez que participam nisto “com gosto, com dedicação e empenhados a cem por cento”.

“Como nas nossas marchas de S. João em Guidões não existe esta disputa, não sabemos quem ficam em 1.º, quem fica em 2.º, decidimos participar aqui para sabermos se de facto somos mesmo bons como dizem”, acrescentou. Para Salete Ferreira participar na marcha “é uma coisa diferente e uma festa”, aconselhando os maganhenses a “empenharem-se mais e tentar levar isto mais à frente”, porque “é fantástico” e como “uma terapia”.

Já a responsável da Marcha da Associação Recreativa S. Pedro da Maganha, Sandra Silva, contou que “participaram obrigatoriamente para não deixar cair a tradição que são as marchas da Maganha”, que “são bonitas e dão mais brilho à festa”. Por isso, as inscrições para o próximo ano estão “desde já abertas”, podendo fazê-las “junto da associação” e, quando para “o ano começarem os ensaios, serão avisados e convocados para participarem”, contando que apareça “muita gente, muito mais do que este ano”.

O presidente da Associação Recreativa de S. Pedro da Maganha, António Castro, asseverou que “vários” grupos “pediram o regulamento e a ficha de inscrição”, mas que só “três se inscreveram, acabando uma por desistir, o que lamenta”. Contudo, para 1.º concurso, António Castro considerou que “correu muito bem, só pelo simples facto de ter surgido um grupo de marchas quando não as contava ter”. “Só por isso já foi ótimo. Surgiu a Marcha do Cerro que é grande e esteve muito bem, assim como a de S. Pedro da Maganha. Acho que foi uma bela noitada de S. Pedro, não só com as marchas, mas também com a iluminação que a meu ver está lindíssima, e que, a meu ver, se calhar não fica atrás acho que atrás da Senhora das Dores”, complementou.

Além das marchas populares, a festa em honra de S. Pedro da Maganha contou com as atuações do grupo de dança Star Kids, do artista de música ligeira Vítor Faria e da banda Fama Show. Já no domingo, houve uma missa solene em honra de S. Pedro e a atuação do grupo da música popular Sons e Cantares do Ave. Já no dia 13 de julho, há um “almoço-convívio”, que terá um “custo de 25 euros por pessoa”, sendo esta “uma forma de angariar fundos para a associação, para os vários eventos e até para as obras”.

Durante “o próximo mês”, a Associação S. Pedro da Maganha vai a votos e, caso António Castro vence as eleições, “as marchas continuam em forma de concurso”, com o intuito que “Maganha seja um ponto de atração em termos de Marchas, não só do concelho, mas que também venham de fora do concelho”.