manuel-pontes 

 “Empresas vão saber ultrapassar mais este árduo desafio”

 

 Há nove anos a “ajudar cada empresa a desenvolver-se de forma sustentada e a qualificar adequadamente os seus recursos humanos” à AEBA surgem todos os dias novos desafios que, com mais ou menos dificuldade, são ultrapassados, fazendo desta associação, “uma entidade de referência da região”. Esta é, pelo menos, a convicção do presidente da direcção, Manuel Pontes, à frente dos destinos da AEBA desde a sua aparição.

 Os dias que se vivem no seio da economia nacional e mundial não são os melhores e é premente que uma associação empresarial responda com o maior profissionalismo e celeridade às necessidades das organizações associadas. Em contexto de crise a AEBA enfrenta, segundo Manuel Pontes, “os desafios que as empresas também enfrentam”. Mas cabe à associação empresarial “ser um importante parceiro na procura de novas respostas e alternativas” e assim assumir-se como um veículo de desenvolvimento da região do Baixo Ave.

Manuel Pontes não vê as situações de crise como uma consequência negativa isolada. Ao encerramento de algumas empresas, a economia respondeu também com “uma reestruturação do tecido empresarial, que originou o aparecimento de novas empresas, “mais dinâmicas, mais adaptadas à realidade actual e mais preparadas para encarar o desafio da globalização”. É por este motivo que Manuel Pontes está convicto que as empresas “vão saber ultrapassar mais este árduo desafio e conseguir prosperar”.

É sobre os valores da “honestidade, transparência, exigência, rigor, competência e do trabalho” que a AEBA assenta a sua actividade, ao longo dos anos alvo de algumas distinções, os mais recentes um prémio de mérito pelos melhores resultados obtidos, entregue em 2006 pelo Conselho Superior Associativo da Associação Empresarial de Portugal, e uma distinção no âmbito do Programa Inov-Jovem, protagonizada pelo primeiro-ministro.

 

Recursos humanos qualificados são um factor essencial para a competitividade das organizações”

A evolução da empresa ao longo destes nove anos ficou marcada por projectos emblemáticos que fizeram com que a AEBA alargasse amplamente o seu leque de serviços. Manuel Pontes destacou o arranque da formação profissional, em 2001, e o Programa Formação PME, que vai já na sexta edição. “Através deste programa temos tido oportunidade de contribuir para o aumento da produtividade e eficiência de algumas empresas participantes, dado que as empresas beneficiam de consultoria formativa, com a presença de consultores especializados que analisam os pontos fortes e fracos das empresas”, referiu.

A formação profissional é um dos alicerces que fazem da AEBA “um parceiro indispensável das empresas”, já que, segundo Manuel Pontes, os “recursos humanos qualificados são um factor essencial para a competitividade das organizações”.

“Se hoje somos uma entidade reconhecida ao nível da formação profissional é porque já demos provas que somos capazes de fazer um excelente trabalho, com formação de qualidade e isto deve-se essencialmente à selecção dos formadores, que são profissionais que, além da formação académica, trabalham no terreno e, por isso, possuem um conhecimento mais concreto da realidade”, afirmou.

Com a fasquia da exigência cada vez mais elevada, a AEBA viu-se obrigada a mudar de instalações. Com o aumento da estrutura da associação, o espaço tornou-se “desadequado” para suprir as necessidades das “centenas de pessoas que diariamente recorrem à AEBA”. Este programa permitiu a colaboração com mais de cem PME’s e com mais de 5000 formandos.

Com umas instalações “maiores e mais funcionais” todos os serviços, áreas técnicas e salas de formação estão localizadas no mesmo local, não faltando uma “excelente exposição solar e climatização adequada”. Tudo em prol do melhor rendimento dos que lá trabalham e estudam.

Com “uma série de projectos em curso”, mas sem os apresentar, a AEBA pretende, para já,a consolidação dos serviços com incremento de qualidade”.

“É neste caminho que pretendemos prosseguir, continuando a evoluir da forma como temos feito até agora e fazendo um esforço para chegarmos a mais empresas”, afirmou.

Composto por três estruturas, a Assembleia Geral, o Conselho Fiscal e a Direcção, onde estão representadas 17 empresas, a AEBA conta com uma equipa técnica de 22 elementos, para além da directoria geral.

Actualmente, com o Centro Novas Oportunidades e as acções de formação que está a desenvolver, a associação tem ainda cerca de 44 formadores a colaborarem com a AEBA e cerca de 28 consultores que participam no âmbito do Programa Formação PME.

Relativamente a serviços, a AEBA coloca à disposição de todas as empresas, e não só das associadas, os de Apoio Administrativo, Contabilístico e Fiscal; Auditorias; Candidaturas a Projectos; Consulta Jurídica; Consulta Médica; Consultoria; Centro Novas Oportunidades; Encaminhamento Profissional, Estágios, Consultoria Formativa; Formação Profissional; Licenciamentos; Recrutamento e Selecção e Relações Públicas.