A 20 de setembro é dado o arranque oficial do ano letivo 2021/2022, no concelho da Trofa. Ao todo, são 4026 as crianças e jovens que iniciam as aulas, desde o pré-escolar ao ensino secundário público, em todo o território do concelho.

Antes, no dia 17, é feita a receção aos alunos nos dois agrupamentos de escolas, com atenção especial para aqueles que começam uma nova etapa, nomeadamente novos ciclo de ensino ou mudança de estabelecimento.
Relativamente às condicionantes que a Covid-19 ainda provoca, há já experiência adquirida do ano letivo passado, pelo que as principais medidas adotadas manter-se-ão. No Agrupamento de Escolas do Coronado e Castro, “além das medidas gerais de prevenção de contágio”, como a utilização de máscara pelos adultos e pelos alunos a partir do 5.º ano e facultativa para o 1.º ciclo, higienização das mãos, etiqueta respiratória, distanciamento físico, arejamento de espaços e reforço na limpeza e desinfeção das salas e das escolas”, estarão em vigor outras regras. Estão definidos “circuitos de entrada e saída nos recintos escolares”, assim como foi imposta limitação de acesso às instalações escolares a alunos e trabalhadores docentes e não docentes. “O atendimento a pais e encarregados de educação é, preferencialmente, realizado, por telefone, e-mail e/ou por videoconferência”, explicou Renato Carneiro, diretor do Agrupamento.
Os horários nas escolas de 2.º e 3.º ciclo e secundário, tal como no Agrupamento da Trofa, foram definidos para “minimizar os contactos entre grupos de alunos” e “evitar grandes concentrações nos intervalos, pausas para refeições e acesso aos serviços internos”.
Nestas escolas, foi ainda feito um esforço para atribuir salas fixas a cada turma, mas há obstáculos difíceis de ultrapassar, como testemunha Renato Carneiro: “As principais dificuldades para cumprir as determinações das autoridades de saúde prendem-se, essencialmente, com o número de alunos por turma e o tamanho das salas no 2.º e 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário. Apesar de os alunos terem em cada escola circuitos definidos e espaços próprios para cada turma no recreio, é muito difícil fazer o seu controlo. Com a necessidade de implementar todas estas medidas e considerando, ainda, a necessidade de reforço da limpeza e desinfeção das salas e das escolas, constata-se uma falta de funcionários com perfil adequado para o desempenho destas funções”.
Quanto às Atividades de Enriquecimento Curricular e contratação de profissionais, os diretores garantem que o processo estará concluído no início do ano letivo. No Agrupamento da Trofa, refere o diretor Paulino Macedo, o Ensino do Inglês foi substituído por Atividade Lúdico Expressiva.
Já no que respeita a pessoal não docente, “o número de profissionais em exercício de funções nas nossas escolas preenche o rácio da Portaria n.º 245-A/2020, de 16 de outubro”. “Para colmatar eventuais dificuldades que a Portaria não soluciona, a Câmara Municipal está a colocar pessoas em situação de desemprego (Contratos de Emprego e Inserção)”, detalhou Paulino Macedo.
No Agrupamento de Escolas do Coronado e Castro assiste-se ao mesmo cenário. “Algumas faltas devido à caducidade de contratos anteriores está a ser providenciada pela Câmara Municipal da Trofa”, referiu Renato Carneiro.

Agrupamento de Escolas do Coronado e Castro
Pré-escolar: 301 alunos
1.º ciclo: 492 alunos
2.º ciclo: 274 alunos
3.º ciclo: 400 alunos
Secundário: 107 alunos
Total: 1574

Agrupamento de Escolas da Trofa
Pré-escolar: 328 alunos
1.º Ciclo: 596 alunos
2.º Ciclo: 337 alunos
3.º Ciclo: 559 alunos;
Secundário (regular): 398 alunos
Secundário (profissional): 170 alunos
Curso de Educação e Formação (1 turma): 15 alunos
Curso Educação e Formação de Adultos (2 turmas): 34 alunos
1 Turma de Português Língua de Acolhimento: 17 alunos
Total: 2452