Pela primeira vez, o PAN – Pessoais-Animais-Natureza – apresenta uma candidatura à Câmara Municipal da Trofa. Rodrigo Reis, 20 anos, vegano, pelos animais e pelo planeta, é o cabeça de lista à autarquia, e também à Assembleia Municipal, e já definiu como objetivo mínimo a eleição de um deputado municipal para conseguir que o partido tenha representação no órgão deliberativo.

Ainda sem ter promovido uma ação pública de campanha de apresentação dos candidatos, a concelhia do partido preferiu as redes sociais para o primeiro contacto com o eleitorado, publicando um vídeo que começa com intervenções da porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, e da líder parlamentar, Bebiana Cunha.
“O PAN pode fazer diferença se conseguir mais representação nas autarquias locais, como sei que assim acontecerá no concelho da Trofa. É urgente darmos voz ao planeta, aos animais e à causa social e humana que até aqui têm ficado para trás”, referiu Inês Sousa Real, que elege como “centro das preocupações das políticas autárquicas” a mobilidade suave, a habitação, a proteção animal e do arvoredo e a eficiência energética”.
E é por esse caminho que Rodrigo Reis encarreira o manifesto político. Apostado em tornar a Trofa “um concelho voltado para o futuro”, o candidato defende o melhoramento das acessibilidades “entre freguesias”, a “construção de infraestruturas desportivas e culturais”, o apoio ao tecido empresarial, através de um “projeto sustentável para criar mais emprego responsável”, e a dinamização do comércio local.
Como jovem que é, Rodrigo Reis sente que, atualmente, a Trofa faz pouco para fixar a juventude e contribuir para a qualidade de vida, assente no desporto e cultura. Por isso, propõe a “criação de mais espaços verdes de proximidade”, assim como a construção de uma “piscina ao ar livre”, de um “parque de desportos radicais em Covelas” e a criação de uma agenda cultural, que inclua uma semana dedicada a artistas trofenses. Neste âmbito, o PAN sugere para a Trofa a construção de um centro cultural, com auditório, biblioteca e espaço para exposições.
No que respeita ao ambiente, um dos temas centrais do PAN, o candidato defende a “gestão de resíduos mais eficiente e justa, de forma a que quem recicle tenha uma redução no valor da sua fatura”, a “construção de um ecocentro” e o desenvolvimento de um projeto de recuperação do Rio Ave.
A criação de hortas urbanas e a aposta na educação para a alimentação saudável são outras propostas do PAN que, no que concerne à proteção animal, apresenta como soluções a criação de um centro de recolha oficial de animais e de parques caninos em todas as freguesias.
Rodrigo Reis que está no 4.º ano do curso de Engenharia Informática e computação, na Universidade do Porto, aponta a habitação acessível como outra das preocupações a ter em conta num mandato, que também deverá ser capaz de construir políticas de não discriminação, em busca de uma Trofa “mais inclusiva”.

Sílvia Coutinho é candidata à freguesia de Bougado

Conhecida pelo trabalho voluntarioso realizado em prol dos animais errantes do concelho – e cara da associação AUAUA -, Sílvia Coutinho aceitou encabeçar a lista para a assembleia de freguesia de Bougado. A candidata a presidente de Junta defende como prioridades o “apoio ao comércio tradicional, aos seniores e jovens”, assim como “a criação de mais espaços verdes” e de um parque canino. “Queremos uma junta de freguesia mais resiliente, dinâmica mais próxima das pessoas, animais e natureza”, sublinhou.