quant
Fique ligado

Edição 748

📹 Trofa em alta rodagem no ciclismo de elite

Publicado

em

A Trofa está em alta rodagem nas principais provas de ciclismo nacional. Esta época, as equipas da União de Ciclismo da Trofa (UCT) e da ACDC Trofa pedalaram pelo país, em mais um passo na afirmação entre a elite da modalidade, e terminaram com chave de ouro, entre os melhores, no Grande Prémio JN.

Com novo patrocinador que até dá nome à equipa de sub-23, a UCT somou alguns momentos felizes na temporada, principalmente na Volta a Portugal ao Futuro, com a vitória de Marcelo Gabriel na primeira etapa. “O dia em que começamos a segunda etapa com a camisola amarela foi bastante prestigiante e um momento inesquecível, que vai marcar a história da UCT”, confessou Bruno Cunha, responsável pela equipa.
Com 25 atletas nos escalões de formação e dez na sub-23, a União de Ciclismo começa a dar os primeiros passos nas competições de elite, mas tem já muitos quilómetros de estrada com os corredores mais jovens, num projeto que privilegia o crescimento sustentado.
“Antes de agir, a UCT analisa o que pode fazer e sustentar ao longo do tempo, porque não temos interesse nenhum em dar um passo em frente e passado um ano dar dois para trás. Quando damos um passo em frente temos consciência de que é um passo seguro, para darmos aos patrocinadores um sinal de que serão valorizados, para que se sintam confiantes em dar-nos apoio”, acrescentou Bruno Cunha, que garante que a UCT “vai continuar a dar à juventude a possibilidade de praticar ciclismo e de estar em sociedade de uma forma sã”.

Também com vários anos de experiência na modalidade, a ACDC tentou fazer a melhor temporada possível, apesar de alguns contratempos associados à incerteza provocada pela pandemia.
“Já começamos a época tarde, porque havia da parte dos dirigentes a expectativa de que as provas não iam para a estrada por causa da Covid-19. E porque não queríamos bater à porta dos patrocinadores e, no final, não conseguirmos que eles tivessem o retorno merecido, atrasamo-nos a formar a equipa e a época acabou por não correr como esperávamos”, admitiu José Martins, diretor desportivo da ACDC.
Ainda assim, a equipa participou, à exceção da Volta ao Algarve e Volta a Portugal, em todas as provas nacionais, com alguns resultados positivos, em que foi possível conquistar camisolas.
Com Renan Quadri e Márcio Barbosa como atletas mais em destaque na época que agora termina, a ACDC apressa-se a preparar a próxima.
“Já estamos a fazer contratações e a criar uma nova estrutura para estarmos mais sólidos na próxima campanha e termos uma equipa muito melhor, para dignificar a Trofa”, sublinhou José Martins.
No Grande Prémio JN, a Trofa esteve ainda representada por Fábio Costa, ciclista em progressão que esta época foi contratado pela EFAPEL, e por Joaquim Silva, que venceu a prova. De amarelo desde a primeira etapa, o corredor do Mortágua foi consagrado na última, que passou pela cidade da Trofa, onde lhe esperava grande apoio.
“É sempre bom levar as cidades às costas. Sou natural de Penafiel e toda gente fala da minha terra nem que seja pelos meus resultados e agora que estou aqui na Trofa também muita gente me apoia e vai-me conhecendo. Apesar de estar a viver na cidade há pouco mais de cinco anos, sinto muito o apoio dos trofenses”, sublinhou o corredor em declarações ao NT.
Na prova, a UCT teve como melhor corredor, Marcelo Gabriel, que acabou no 54.º lugar, logo seguido de Márcio Barbosa, o mais bem classificado da ACDC. Fábio Costa terminou no 46.º posto, garantindo ainda o 9.º lugar entre os sub-23.

Continuar a ler...
Publicidade

Edição 748

Torres & Cunha promove formação sobre caixas de velocidade automáticas

Publicado

em

Por

A empresa trofense Torres & Cunha promove, a 19 de novembro, uma formação presencial em manutenção de caixas de velocidade automáticas. Numa ação dinamizada em conjunto com a Polivapor, a retalhista de peças auto pretende “explicar o funcionamento destas caixas, mas também realizar operações de manutenção nas caixas de velocidades automáticas e robotizadas”.
A formação, que se realiza nas instalações da Torres & Cunha, é destinada a técnicos de reparação e manutenção automóvel em caixas de velocidade automáticas e as inscrições podem ser feitas através de telefone, para o número 252 409 530, ou de email, para o endereço geral@torrescunha.pt.

foto: diana.grytsku

Continuar a ler...

Edição 748

Rodrigo Reis é o primeiro candidato do PAN à Câmara da Trofa

Publicado

em

Por

Pela primeira vez, o PAN – Pessoais-Animais-Natureza – apresenta uma candidatura à Câmara Municipal da Trofa. Rodrigo Reis, 20 anos, vegano, pelos animais e pelo planeta, é o cabeça de lista à autarquia, e também à Assembleia Municipal, e já definiu como objetivo mínimo a eleição de um deputado municipal para conseguir que o partido tenha representação no órgão deliberativo.

Ainda sem ter promovido uma ação pública de campanha de apresentação dos candidatos, a concelhia do partido preferiu as redes sociais para o primeiro contacto com o eleitorado, publicando um vídeo que começa com intervenções da porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, e da líder parlamentar, Bebiana Cunha.
“O PAN pode fazer diferença se conseguir mais representação nas autarquias locais, como sei que assim acontecerá no concelho da Trofa. É urgente darmos voz ao planeta, aos animais e à causa social e humana que até aqui têm ficado para trás”, referiu Inês Sousa Real, que elege como “centro das preocupações das políticas autárquicas” a mobilidade suave, a habitação, a proteção animal e do arvoredo e a eficiência energética”.
E é por esse caminho que Rodrigo Reis encarreira o manifesto político. Apostado em tornar a Trofa “um concelho voltado para o futuro”, o candidato defende o melhoramento das acessibilidades “entre freguesias”, a “construção de infraestruturas desportivas e culturais”, o apoio ao tecido empresarial, através de um “projeto sustentável para criar mais emprego responsável”, e a dinamização do comércio local.
Como jovem que é, Rodrigo Reis sente que, atualmente, a Trofa faz pouco para fixar a juventude e contribuir para a qualidade de vida, assente no desporto e cultura. Por isso, propõe a “criação de mais espaços verdes de proximidade”, assim como a construção de uma “piscina ao ar livre”, de um “parque de desportos radicais em Covelas” e a criação de uma agenda cultural, que inclua uma semana dedicada a artistas trofenses. Neste âmbito, o PAN sugere para a Trofa a construção de um centro cultural, com auditório, biblioteca e espaço para exposições.
No que respeita ao ambiente, um dos temas centrais do PAN, o candidato defende a “gestão de resíduos mais eficiente e justa, de forma a que quem recicle tenha uma redução no valor da sua fatura”, a “construção de um ecocentro” e o desenvolvimento de um projeto de recuperação do Rio Ave.
A criação de hortas urbanas e a aposta na educação para a alimentação saudável são outras propostas do PAN que, no que concerne à proteção animal, apresenta como soluções a criação de um centro de recolha oficial de animais e de parques caninos em todas as freguesias.
Rodrigo Reis que está no 4.º ano do curso de Engenharia Informática e computação, na Universidade do Porto, aponta a habitação acessível como outra das preocupações a ter em conta num mandato, que também deverá ser capaz de construir políticas de não discriminação, em busca de uma Trofa “mais inclusiva”.

Sílvia Coutinho é candidata à freguesia de Bougado

Conhecida pelo trabalho voluntarioso realizado em prol dos animais errantes do concelho – e cara da associação AUAUA -, Sílvia Coutinho aceitou encabeçar a lista para a assembleia de freguesia de Bougado. A candidata a presidente de Junta defende como prioridades o “apoio ao comércio tradicional, aos seniores e jovens”, assim como “a criação de mais espaços verdes” e de um parque canino. “Queremos uma junta de freguesia mais resiliente, dinâmica mais próxima das pessoas, animais e natureza”, sublinhou.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também