“Ponha-se a andar” foi a iniciativa desenvolvida pela Associação Recreativa Juventude do Muro que, no domingo, 30 de junho, levou mais de 300 pessoas a caminhar na freguesia. 

Pouco passava das 9.30 horas quando foi dado o sinal de partida para a segunda caminhada organizada pela Associação Recreativa Juventude do Muro (ARJM). Com “aproximadamente oito quilómetros” de percurso, “cerca de 330 inscritas” e “alguns participantes extra”, que não se tinham inscrito, saíram da sede da associação, junto à Junta de Freguesia do Muro, e passaram pela Capela de S. Pantaleão, fontanários de Gueidãos e de Vilares, continuando pela antiga linha de comboio, “‘ponte da Peça Má’”, Aldeia Nova, antiga estação de CP do Muro e terminando na sede, “antes da hora prevista”. No início decorreu uma “aula de aquecimento”, desenvolvida por um dos parceiros oficiais da iniciativa.

José Pedro Lima, presidente da ARJM, fez um “balanço muito positivo” da segunda edição da caminhada turística pela freguesia do Muro, apontando como “o único inconveniente o calor muito intenso”. De resto, a atividade foi “um sucesso”, tendo sido “tudo cumprido”.

Na primeira edição, que se realizou o ano passado, a associação recolheu “um feedback muito positivo” e este ano “aumentou”. “As pessoas gostaram ainda mais, toda a gente adorou, só se queixaram do calor, mas isso é um fator que não podemos controlar. Penso que a nossa logística amadora funcionou em pleno”, denotou.

“Infelizmente”, a ARJM “não tem recursos humanos” para realizar o evento “muitas vezes” ao longo do ano. No entanto espera “continuar” a desenvolvê-lo no próximo ano.

A “verba angariada” com os patrocínios vai ajudar a associação a “suportar todas as atividades da associação, nomeadamente as quatro equipas” que tem a competir, “duas federadas, o que envolve muitos gastos”, e duas concelhias. Um apoio que também ajuda na “manutenção dos espaços, como a sede, o ginásio à beira do cemitério e o parque de jogos”. Já o “valor das inscrições não cobriu os gastos com a compra das t-shirts, os quadros de estampagem e a água”.

José Pedro Lima agradeceu aos “proprietários dos terrenos por, gentilmente, terem cedido a passagem” e a “todos os patrocinadores que apoiaram este evento”.