Seis equipas federadas e uma concelhia de futsal e uma equipa de futebol no campeonato do INATEL representam quase 130 atletas de todas as idades que vão carregar o emblema do Futebol Clube S. Romão ao peito.

Ao longo dos anos, a coletividade romanense construiu um projeto desportivo assinalável, sendo uma das que mais atletas movimenta no concelho.

Em entrevista ao NT, o responsável pela associação, Hamilton Pereira, afirmou que a nova época foi projetada “à semelhança” dos anos anteriores, mas com a particularidade de que, desta vez, “os eventos serão organizados pelas duas secções do clube, futsal e futebol, em conjunto”.

A competir na Associação de Futebol do Porto (AFP) o FC S. Romão terá seis equipas: benjamins, infantis, iniciados, juniores, seniores masculinos e seniores femininos. Fica a faltar o escalão de juvenis, porque, diz Hamilton Pereira, “os diretores e treinadora dos iniciados foram para o Centro Recreativo Bougado e levaram praticamente todos os atletas das equipas de iniciados e juvenis”.
Os seniores masculinos vão disputar a série 3 da 1.ª Divisão da AFP, enquanto, no mesmo escalão, a equipa feminina competirá na 2.ª Divisão. Assim como estes conjuntos, também os iniciados e juniores masculinos vão militar na divisão mais baixa da AFP, designada Divisão de Honra.

No campeonato concelhio, o FC S. Romão será representado por uma equipa de veteranos masculinos.

“Os nossos objetivos para cada equipa é que os atletas se divirtam, cresçam, aprendam o mais possível e que façam o melhor”, adiantou Hamilton Pereira, que não esconde as “muitas dificuldades” de manter um projeto desportivo com esta envergadura

Os obstáculos vão sendo ultrapassados com a busca por dar aos mais novos “uma alternativa saudável às novas tecnologias e televisão em excesso, proporcionando tempo, espaço e condições para que todos possam ter acesso ao desporto”.

Entre as contrariedades, a “falta de apoios financeiros” destaca-se, uma vez que as exigências são muitas e o clube “tem feito um esforço todos os anos para conseguir patrocínios”, que respondam a todas as despesas.

“Agradecemos aos patrocinadores dos anos anteriores que, por algum motivo, já não estão connosco e agradecemos ainda mais aos que continuam a patrocinar-nos ou que agora entram para a nossa família desportiva e que ajudam a realizar o sonho de muitas crianças de fazer o que mais gostam”, sublinhou o dirigente.

A escassez de treinadores no concelho e arredores é também um problema, cujas consequências acabam por cair sobre o coordenador que “tem que estar no banco em vários jogos por fim de semana”. Hamilton Pereira aproveita a oportunidade e lança o desafio “a quem tiver vontade de aprender ou tirar o curso de treinador de futsal” para que integre o projeto do FC S. Romão.

“No que respeita a diretores, temos os pais que são o forte pilar de todos os escalões e do próprio clube. Sem eles, não havia clube e o contributo deles é fundamental, mas não é de mais. Como costumo dizer, há sempre lugar para mais um”, acrescentou.

A pensar no futuro dos atletas e para que a academia justifique todo o trabalho feito junto de crianças desde tenra idade, a direção do FC S. Romão equaciona criar, na próxima época, uma equipa B sénior, para competir no campeonato concelhio

“O nosso objetivo é fazer com que os nossos atletas iniciem na academia e terminem nos veteranos. Assim sendo, e como nem todos os atletas juniores poderão fazer parte da equipa sénior atual, vamos equacionar esta possibilidade e assim dar continuidade ao crescimento dos atletas, proporcionar-lhes competitividade e oportunidade de não só continuarem a jogar futsal, mas também de se mostrarem à equipa A, como acontece em todas as grandes equipas”, explicou.