Candidato PSD/CDS a Bougado propõe-se concretizar o centro equestre de Bougado, o parque de lazer em Lantemil e dar atenção especial à população mais velha.

Pela terceira vez, Luís Paulo escolheu a Escola Secundária da Trofa para apresentar a candidatura à Assembleia de Freguesia de Bougado. Para o candidato da coligação Unidos pela Trofa, este local é quase uma metáfora do que é um cargo público, que pela população é avaliado e depois merecedor de aprovação ou de um chumbo. Luís Paulo pretende ter, novamente, nota positiva a 26 de setembro para cumprir os 12 anos de funções políticas e vai já apresentando o enunciado do próximo teste que é, como quem diz, as propostas que tem para o próximo mandato.
“A menina dos nossos olhos é o centro equestre de Bougado. Com esta obra, a Trofa vai ser uma referência equestre em termos nacionais”, afirmou o candidato, que detalhou que a ideia do projeto surgiu com o problema da falta de espaço da Feira Anual da Trofa.

“Em 2019, conseguimos adquirir um terreno com 24 mil metros quadrados, para resolver essa situação e, em 2020, já tivemos a vertente equestre da Feira Anual nesse espaço. E agora, vamos lá executar um projeto muito bonito, que vai permitir práticas equestres durante todo o ano”.
Outro dos compromissos de Luís Paulo é “devolver à população” um terreno da Junta de Freguesia, situado em Lantemil. Como? Construindo um parque de lazer, com “um prado, árvores e bancos”, para potenciar a ocupação saudável dos tempos livres.
E para ajudar a subir a nota do exame final, Luís Paulo acena também com os trabalhos feitos no período letivo que está a terminar. A casa mortuária de Santiago de Bougado, garante, “foi a obra do mandato”. E depois, as “pequenas grandes obras”, ou seja, a resolução de problemas de pouca monta, mas que “são de grande importância para a população”.
O candidato referiu ainda que o investimento feito pela Junta de Freguesias nos últimos anos “foi muito superior em Santiago”, porque foi o território que “apresentava mais necessidades”.
O executivo que Luís Paulo se propõe formar diverge do atual, uma vez que, à luz da lei da paridade, Amândio Couto teve de sair para dar lugar a Catarina Padrão. A “intergeracionalidade” é a característica que o candidato prefere destacar.
“A nossa proposta para o executivo conta com pessoas com idades entre os 20 e os 70 anos, que garantem várias maneiras de pensar e de ler a comunidade”, justificou.
Luís Paulo foi eleito presidente da Junta de Freguesia de Bougado, pela primeira vez, em 2013, aquando da reforma administrativa que fundiu Santiago e S. Martinho. Corre agora pelo último mandato consecutivo ao lugar que ocupa há cerca de oito anos e, à luz da metáfora escolar, espera concluir o ensino secundário, deixando no ar possíveis ambições futuras. “Este é um projeto a 12 anos, porque esta escola só dá para ir até ao 12.º ano. Só (iremos mais longe) se mudarmos de escola”, atirou.