Soutrofense 

Os Trofenses são uns aguerridos e brincalhões, qual povo triste, qual quê?! Ainda não tinha começado o jogo, já no painel electrónico se brincava. Trocava-se de jogadores com uma pinta, colocava-se os não convocados, trocava-se os titulares com os suplentes, tudo isto para baralhar o outro treinador, o tal que tem o nome de margarina culinária. Ainda hoje deve estar a pensar como nos conseguiu “roubar” dois pontos!

Empatámos 2-2, coisa que muitos não compreendem e logo tendem a procurar culpados. Mas meus amigos, futebol é assim mesmo, é tipo balança, umas vezes para cima, outras para baixo.

Moralmente ganhámos, só é pena que a Liga não dê pontos ‘extra’ em caso de empate à equipa que joga melhor. Está mal. Em casos destes devíamos ter mais pontos, 1 pelo empate, 1 pela moral e mais 1 por cada penálti marcado contra nós, sem contar os defendidos, já iam para cima de 12…

A haver culpados que seja a crise e de quem no clube compra pilhas de marca branca. São boas, mas esgotam-se em 35 minutos, é pouco. Para a próxima que usem daquelas do coelhinho, porque essas duram, duram…

Agora culpar o árbitro?! Que injustiça, culpa tem a mãezinha (muito aclamada no domingo por sinal) por lhe ter posto aquele nome, o homem quer fazer jus ao Cósmico e anda sempre com aquele ar de ‘ET’, armado em “Colina de Cabeçudos” do mundo da Lua.

Porque errar qualquer um erra e ele demonstrou que não repete os mesmos erros, o que é muito positivo. Se na primeira parte esteve mal em marcar o penálti por bola na mão de Licá, na segunda já não o fez por mão na bola do atleta do Covilhã, que foi muito mais evidente. Deve ter aprendido durante o intervalo. Pelo menos tem vontade em aprender. Assim como a falta de equilíbrio do jogador do Covilhã, que dá origem ao segundo golo. Dizem-me que o Romeu não tem culpa! Claro que tem, podia ter amparado o moço, ele assim já não caía. Nos lances divididos dava vantagem aos do Covilhã e acho bem, pois eles são visivelmente mais fracos. Haja alguém que olhe por eles e os proteja, porque domingo nós éramos os lobos e eles as ovelhas, isso viu-se nitidamente na primeira parte, só mesmo por força divina não marcámos mais um golito, pelo menos.

Agora mau, mau, ele não é !!!! Olhem lá se mostrou o amarelo ao Reguila, por destruição de “património publicitário”, não mostrou! Faz de conta que nada aconteceu, mas isso os adeptos não vêem.

Os comentadores da Rádio Trofa, diziam que a arbitragem foi exemplar e não havia nada a declarar, eu só declaro que eles deviam estar “Chal(ô)ados”.

Ouvi e li críticas ao treinador, outra injustiça! Coitado do DR (Daniel Ramos) estava com medo que o temporal levasse o banco e vai daí, coloca os mais leves a jogar e os mais pesados sentou-os. Ficou com o banco mais seguro, sem dúvida. Estranhei a falta do Chad. Pela mesma lógica, se calhar com aquele cabedal, bom para terrenos pesados, foi sentar-se na cobertura, não fosse ela ir pelos ares, como aconteceu no estádio de Aveiro, no dia anterior.

Só não gostei da táctica, de equipa que ganha não se mexe, o Bruxo está farto de dizer que isso é conversa, mas ninguém alinha no que digo e achei que esteve mal em tirar o Hélder Sousa, quando a equipa precisava de um organizador de jogo. Estava cansado? Deixa lá que os outros estavam mortos e marcaram-nos dois golos. O Hélder coxo e de língua de fora era melhor para destrancar a porta fechada a sete chaves do Covilhã do que o Williams, que tinha entrado anteriormente e nem encontrou a fechadura.

Assim como trocar o Licá pelo Caiado, valha-nos Nossa Senhora dos Prantos. O Caiado para passar aquela muralha defensiva? Tinha que ter treinado para o Salto em Altura. E, como sabemos já desde o ano passado, ele é bom para outras coisas, talvez nos 30 metros sem curvas e sem guarda-redes pela frente. Jorge Luiz, visivelmente mais magro (condição que fez dele titular) faz uns cruzamentos de primeira categoria, só foi pena não ter ajudado um pouco mais a defesa e as pilhas dele serem de maior desgaste, mas aqueles primeiros 30 minutos valeram para encher o olho ao Bruxo.

Já o Igor que pena não ter engordado esta semana, enquanto o Mércio a defesa direito, compreende-se, (o Bruno eram mais 2 quilinhos no banco) e se correu bem em Portimão, porque não há-de correr bem de novo. Cada qual é para o que nasce e o Mércio não nasceu para defesa, mas cá o Bruxo tira-lhe o chapéu pela vontade, que nisso ninguém o vence.

Por falar em chapéu, lembrei-me do chapéu-de-chuva (que no Curral somos pró chique)… Agradecia a quem fez o favor de levar o meu no final do jogo, que o devolva quando puder e já não precisar, o Bruxo ficava muito agradecido.